sexta-feira, 30 de abril de 2010

Alunos de várias universidades do Nordeste visitam a Estação Ambiental Mangue Pequeno

No mês de março foram iniciadas as aulas de inclusão sócio-digital e de educação ambiental com as crianças e adolescentes da comunidade da Requenguela, com quatro turmas de alunos, duas no período da manhã e duas no período da tarde, totalizando 32 participantes. Nas aulas os alunos aprenderam noções básicas de informática e utilizaram o computador como ferramenta de pesquisa e de promoção da educação ambiental através do uso da internet.

Utilizando sites sobre meio ambiente, ainda fizeram trabalhos de pintura, leitura de textos, desenhos, palestras e debates sobre os ecossistemas costeiros e, em especial, sobre os manguezais, ecossistema no qual estão diretamente inseridos. Para melhorar a leitura dos alunos, nos dias vagos eles recebem reforço escolar. As oficinas de educação ambiental e inclusão sócio-digital ainda se estendem aos colaboradores da Estação Ambiental (pessoas que pagam penas alternativas na Estação Ambiental), e que contribuem na produção de mudas, na limpeza do Centro de Referência, na coleta de propágulos e, além disso, participam de oficinas sobre a importância dos manguezais e sua relação com a pesca e começam a dar os primeiros passos para aprender a operar o computador.

Uma vez por semana são recebidos também os alunos das oficinas do Projeto “Brincando no Presente para Ser Cidadão no Futuro”, que participam de palestras, conhecem as instalações da Estação Ambiental e fazem visita à passarela pelo manguezal. Além disso, cada aluno recebe uma muda de planta nativa e se responsabiliza por cuidar e acompanhar seu crescimento.

No mês de março foram doadas 81 mudas para os visitantes da Estação Ambiental e para os alunos do projeto “Brincando no Presente para Ser Cidadão no Futuro”. No viveiro de mudas foram produzidas 1.337 mudas de mangue da espécie Laguncularia racemosa, totalizando 3.781 mudas produzidas desde o início do ano. Foi também construído viveiro de apoio, exclusivo para as mudas de mangue.

Entre os grupos visitantes, estiveram alunos de várias universidades dos estados do Nordeste como Piauí, Rio Grande do Norte, Paraíba, Ceará, Alagoas e Bahia, todos os alunos do doutorado em desenvolvimento e meio ambiente, além de grupos de italianos ligados à Rede TUCUM e à Associação Tremembé.

Coordenador da Estação Ambiental José de Arimatea da Silva.

Retirado do site da Fundação Brasil Cidadão.


Um comentário:

Claudi Mar disse...

Porque será que ninguém comenta quando publicamos coisas boas?

A iniciativa da Estação Ambiental Mangue Pequeno de construir um espaço para oferecer educação ambiental a todos, além da belíssima passarela que atravessa os mangues, foi sem dúvida um grande acontecimento para nossa cidade e que ainda não obteve o devido reconhecimento. As atividades lá realizadas ainda são tímidas e o interesse dos moradores daqui ainda é pequeno.

Sob a coordenação de Arimatea, o projeto tem contribuído muito para a conscientização para preservação do meio ambiente, realizando atividades educativas e recebendo pessoas de várias partes do Brasil que desejam conhecer de perto essa experiência.

Além de beleza, o espaço também oferece muito conhecimento!

Visitem!