terça-feira, 8 de junho de 2010

Opinião de leitor: A decadente vida noturna e diurna de Icapuí

No crônica escrita por Claudimar Silva sobre a programação (des)cultural de nossa cidade, entitulada "Crônica: Embalos de Sexta e Sábado à Noite...", está sendo um grande momento de debate sobre as opções de lazer e cultura de nosso município, um leitor fez um duro comentário sobre a nossa cidade. Mas que é de extrema importância para discutir a nossa cidade e as relações sociais e culturais que nela vivemos. Creio que podemos fazer um grande debate sobre esse tema a partir do mesmo.





Luiz Teotônio Mendes disse...

Não vi nada de engraçado e não me desculpem por esta opinião, muito menos pela próxima. Mais uma denúncia e advertência importantíssima como a publicada neste blog sobre a decadente vida noturna e diurna de Icapuí e redondezas não é algo para simplesmente ler e achar engraçado, absolutamente.

A cidade de Icapuí é rota nacional e internacional do tráfico de drogas, que migram de Fortaleza e Mossoró, e os caras, os otários, a rapaziada, não se dão conta do jogo em que estão metidos, com certeza pelo baixíssimo índice de leitura que existe nesta cidade e demais. É ignorante de todas as idades por todos os lados, buracos, vielas, mansões e castelos de areia, e todos se achando espertíssimos em relação a tudo. 

Residi nesta cidade em uma época ainda tranqüila, mais quando soube por fonte segura que pescadores da região estavam pagando com o pescado dívidas com traficantes, que acredito hoje em dia deva está bem pior - pelo tipo de raciocínio que impera no subconsciente coletivo dos icapuienses, hoje além do pescado com certeza entra na parada mulher e filha como moeda de crédito. Isto além do prostituído desrespeito existente e natural no comportamento dos icapuienses, sem generalizar, mais a maioria, um horror social decadente e ultrapassado, mais que acham moderno. 

Caí fora e daí e só vejo notícias decadentes sobre esta cidade de uma forma geral. É lamentável que uma cidade localizada um uma região tão privilegiada não tenha maturidade suficiente para saber barrar, através do conhecimento, tudo o que não presta do seu meio social. Admito que na pocilga Brasil, apesar de tudo o que não presta, ainda encontramos cidades onde a sociedade sabe se reunir para limitar a catastrófica e decadente pseudo modernidade, preservando o lado inteligente do social através da orientação e educação. Itens que não existem em Icapuí e demais cidades da redondeza, cidades fadadas a uma galopante decadência hoje e muito mais em um futuro bem próximo, afinal desde 1995 é apenas o início de um terrível processo o que vocês vivenciam e que pagarão um alto preço. E não sou o único, conheci poucas pessoas nesta cidade, uns cinco, durante o período que aí residi. 

Houve um fato relativo a um radialista, que se mandou daí e disse ao vivo na emissora "que apesar da vasta experiência de vida que ele tinha e do vasto curriculum, não poderia residir em uma cidade em que pessoas olhavam de soslaio para sua mulher", se mandou. Não tive a oportunidade de conhecê-lo. Bem, dos quatro grandes amigos com suas agradáveis famílias que conheci em Icapuí, apenas um é natural daí, gente muito boa, inteligentíssimo e muito culto, uma rara exceção, que terei em breve o prazer dei revê-lo para debatermos o que foi previsto há anos atrás por eu e ele. Outro grande amigo, que ainda reside aí, gente muito fina com uma peculiar curiosidade, este e os outros dois não são daí. Resumo amigo natural de Icapuí em três anos e meio que aí residi, apenas um, os de mais vieram de outras regiões. Não se sintam ofendidos, mais esta é minha real opinião fruto da minha vivência na sociedade de Icapuí.

Obs. Em respeito aos meus amigos que ainda residem por aí, resolvi omitir os seus nomes.

13 comentários:

Francisco disse...

Infelizmente companheiro as pespectivas a curto prazo não são muito boas, mas espero que a medio e longo prazo Icapuí tome outro rumo, compativel com seu potencial previlegios naturais.

Claudi Mar disse...

Caro Luiz

Como autor da crônica "Embalos de sexta e sábado à noite" admito vergonhosamente que, esta é a nossa triste realidade. As opções de lazer resumem-se incondicionalmente ao consumo de bebidas alcoólicas, e consequentemente, seus coleguinhas entorpecentes, nos locais descritos por mim, propositalmente de forma cômica.

Nossa cidade sem dúvida tem um potencial incrivelmente inexplorado na área do turismo cultural. Muitas de nossas tradições atraíam visitantes curiosos, que se deliciavam com os costumes típicos dos interioranos. Icapuí possuía uma riqueza cultural imensa, que aos poucos foi caindo no esquecimento, talvez por falta de incentivos dos governos, talvez pelo desinteresse das pessoas em repassar essas tradições aos seus descendentes, ou também, pela "modernização cultural" em que o mundo inteiro vem se submetendo. As novas gerações, cada vez mais conectadas entre si, tem novas prioridades em suas vidas, há uma busca incessante pela novidade, pelo consumo, pela moda. Esse pensamento comum nos jovens de todo o mundo, faz com que se perca o desejo de preservar as culturas dos antepassados, que formaram a história da cidade.

A falta de educação, ou de leitura, contribui e muito para essa decadência cultural em nossa cidade. Os empreendedores, donos de estabelecimentos de lazer, não tem uma visão ampla do que seja uma sociedade ou conceitos filosóficos de vida. Cultura para eles simplesmente não existe, o que existe é dar o que os clientes querem comprar. Já os frequentadores desses ambientes, não esperam encontrar nesses locais nada além disso, pois são "educados" com este pensamento. É uma questão de formação da personalidade, do tipo de criação que cada um recebe, e isso se torna um ciclo, uma bola de neve, que em algum momento irá esbarrar em alguma coisa, certamente um colapso social.

Então, creio que a culpa não recaia somente nos gestores que não incentivam a cultura, mas também, nessas pessoas que, grosseiramente falando, não têm cultura. Claro que, se houvesse uma política voltada para criação de oportunidades de lazer que fugissem das "orgias alcoólicas", seria um atrativo para os que buscam isso, mas, os que frequentam os "subúrbios culturais" de nossa cidade, continuariam fazendo as mesmas coisas, pois é isso que lhe dar prazer. Suas vidas resumem-se a isso.

Pra encerrar, manifesto minhas congratulações pela riqueza textual exposta em seu comentário, e digo que, formar uma opinião sobre uma cidade embasando-se apenas na convivência com 5 pessoas que aqui habitavam, é precipitado demais.

Icapuí, mesmo com todos os problemas, continua sendo uma cidade encantada, cheia de riquezas e de pessoas que sentem orgulho de tê-la como terra natal.

Conte-nos como é a cidade onde você mora atualmente. Quais exemplos de uso inteligente de políticas públicas voltadas para o incentivo cultural sua cidade poderia nos dar? Seria uma grande contribuição, já que estamos, aparentemente, com um déficit mental generalizado.

Abraços!

Jackson disse...

Claudimar arrasa!!

Luiz Teotônio Mendes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luiz Teotônio Mendes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luiz Teotônio Mendes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luiz Teotônio Mendes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luiz Teotônio Mendes disse...

Se observarmos a questão pelo lado macro, veremos que a qualidade das valiosas e raras contribuições nas opiniões das pessoas que conheci e que residem em Icapuí, que citei em números, não se limita apenas a quantidade, claro que não, e sim a qualidade do fruto das riquíssimas conversas ocorridas. Não se pode confundir amizades sólidas e progressivas com amizades ou conhecimentos esporádicos, porque isto não é prudente. Faltou admito, um esclarecimento que dou agora, em relação aos conhecidos esporádicos que também tive em Icapuí e que não foram poucos, envolvendo uma diversidade de ambientes que conheci e frequentei, sempre discretamente. No comentário anterior além de alertar e criticar, falei a verdade sobre Icapuí, sob uma ótica que além de vivenciar, já é pública e notória no Ceará, tipo a fama que Teresina no Piauí tem, sendo conhecida no Nordeste em peso como cidade de mulheres vadias que não respeitam nem seus filhos, uma putaria generalizada, e isto é um grave problema em ascensão no nordeste. Certa vez, ouvimos um comentário em público na cidade de Fortaleza, a respeito da sociedade de Icapuí, isto em alto e bom tom, dentro de um ônibus, por parte de cidadão que aí reside e que não sei o nome ou então estaria publicado, e por mais direto e liberal que eu seja em meus comentários, não tenho capacidade de publicá-lo aqui, foi terrível, degradante, agressivo e imoral ao extremo. Seria tido como uma agressão até no mais moderno e contemporâneo País. Para você ter uma idéia, mesmo não sendo natural desta cidade e não sabendo quem era a priori o canalha, por pouco não quebrei o safado no cacete, não teria valido a pena. Apesar dos pesares, tenho particular afeição pelo belo litoral cearense e Icapuí em especial, mesmo com a gradativa falta de visão do seu povo e dos seus governantes. Esta situação acontece não só aí, mas em várias cidades brasileiras e isto já não é novidade há anos.
No Brasil existem 5564 municípios e destes 5564 municípios, temos, não exatamente, mais aproximadamente 10% administrados corretamente como se deva através de ótimos gestores, que incentivam a educação; através de escolas dignas e professores competentes, a saúde; através de ótimos hospitais e médicos, o conhecimento; através de biblioteca pública com acervo diversificado ao gosto e alcance de todas as faixas etárias, o folclore regional nordestino; com eventos riquíssimos culturalmente que valorizam o artista local e regional de vários segmentos - livrando, incentivando e orientando a juventude que está inserida neste lixo cultural atual onde não há incentivo, a valorização do auto-conhecimento; o incentivo a leitura; através de projeto estratégico elaborado dentro das escolas incentivando a constante presença do aluno na biblioteca, a música; através da construção de escola de música, a indústria e escola técnica; através de parcerias e do perfeito direcionamento do capital das subvenções e os necessários eventos sociais que valoriza e respeita cada um dos cidadãos ali presentes. Este perfil que repasso de como deva ser uma excelente administração pública, é o perfil exato da administração pública da cidade onde resido até 2014 com minha família, cidade pequena mais com um potencial cultural brilhante, músicos, poetas, escritores e pessoas que se respeitam, claro que existe algumas discrepâncias, mais o equilíbrio está no sangue do povo desta cidade, da qual não sou natural, e que não vejo necessidade de citá-la aqui. Mas levando em consideração que é de grande valia para vários outros prefeitos, a exemplar gestão do atual prefeito da cidade que residimos atualmente, sugiro que os políticos de Icapuí entrem em contato e marquem uma reunião com os gestores atual da cidade de Carnaíba no Estado de Pernambuco, para que vejam, aprendam e copiem, se for o caso, os projetos praticados em prol de todos que residem na cidade e redondezas.

Luiz Teotônio Mendes disse...

Em administrações públicas onde o prefeito e vereadores administram com honestidade (dá até certa vontade de voltar de votar) palavra e ação rara hoje em dia no Brasil, você percebe uma satisfação quase unânime das pessoas - afinal ninguém é perfeito e sempre existem uns ignorantes descontentes, se percebe também a mudança na infra-estrutura da cidade e sua projeção como exemplo que pode e deve ser seguido. Digo que com 4.000 cidades administradas como a que resido atualmente, teríamos um País mais decente, honrado e respeitado internamente e internacionalmente. A propósito, faço parte dos eleitores que por falta de opção exercem sua cidadania e patriotismo, anulando seu voto, como protesto por não se ter em quem confiar dentro da política brasileira. Não vamos confundir voto nulo com voto em branco, ambos têm procedimentos diferentes a ser realizado na urna eletrônica. Lembrando que o voto em branco vai para o partido majoritário e o voto nulo não vai para ninguém. Mas não constar a tecla "nulo" na urna eletrônica, tirando o direito do eleitor de anular o seu voto em protesto. É uma pilantragem em cima do direito usurpado do cidadão brasileiro.
Mas quando existe a corrupção, a impunidade e a roubalheira do dinheiro público, inserida dentro da prefeitura e câmara de vereadores. Podemos ter certeza que a administração pública vira um lixo em sua totalidade. E malandros que são estes crápulas, só direcionam o povo ao que não presta, tipo o lixo musical que são usados e jogados, tirando a oportunidade de milhões de pessoas que nunca tiveram o prazer por falta de incentivo construtivo local através de projetos para resgatar o pouco e valioso que ainda existe de bom na cultura, na música, no teatro, em um bom livro e no agradável e saudável relacionamento público brasileiro quase inexistente. Aquele relacionamento público em que todos se respeitam e a violência é coisa do passado, da idade média, como acontece em Osaka no Japão atualmente e em várias outras cidades do interior do continente europeu. Fato normalíssimo por lá e que para os brasileiros é uma utopia assessorada pela ilusão e mentira. É lastimável o tratamento dado ao povo brasileiro, mais também é combatível este tipo de primitivo raciocínio que impera em países atrasados e de terceiro mundo com ascensão a quarto mundo como é o caso do Brasil.
Desta forma vão destruindo pouco a pouco o que de sensato universalmente existe dentro da sociedade e cultura brasileira, em especial ao Nordeste que é riquíssimo culturalmente, mais que atualmente se encontra perdido diante do jogo podre e sujo que praticam com o povão, base da sociedade brasileira também, mas que são tratados como animais.
Digo jogo podre e sujo por vários motivos e que envolvem a corrupção no país e também porque já é público que a polícia federal descobriu o esquema de lavagem de dinheiro através de bandas de vários estados nordestinos. Lavagem de dinheiro em especial oriundo das drogas que são comercializadas também nos eventos de porró com suas bandinhas, que tem contratos assinados com órgãos públicos como prefeituras ou seus testas de ferro, que conivente em sua maioria, desviam o dinheiro público geralmente destinado a obras sociais, para festas de décima categoria, mais que dá publicidade tipo "Isto é que é um prefeito bom!".

Luiz Teotônio Mendes disse...

Vale salientar que as pseudo-bandas de forró, que de forró, convenhamos, não tem nada originalmente, agora de brega barato, porque tem o brega bom, isto elas tem tudo e são com a assessoria da maioria, não todos, de seus sujos empresários, responsáveis diretos pela tragédia musical que eles vendem e que o leigo e massacrado povão não percebe, achando o lixo um luxo e que cachaça é o máximo. É uma decadência galopante ao extremo, rumo ao nada, e como se isto não fosse o suficiente, os canalhas que promovem este tipo de coisa, só se importam é com a comissão de uma fatia do dinheiro sujo, e querem mais é que o povão em sua maioria alcoolizado se ferrem, se lasquem, se danem e continuem pagando por isto literalmente, achando os espertalhões, os malandrões que agem potencialmente, em sua latente apatia, tudo uma maravilha e que são os reis do pedaço. A juventude otária está realmente ferrada. Mas como qualquer problema tem uma solução - a morte é suprema, e o comentado aqui faz parte do antídoto que culmina em saber usar a inteligência que todos tem e não a burrice que todos tem, acredito que a juventude tem sua chance, é só refletir e concluir logicamente tudo que a envolve e optar pelo caminho correto e não o errado, que todo ser humano desde o berço sabe discernir. Portanto não adianta desculpas, porque toda pessoa é o responsável pelos seus atos. Existe até um livro que trata deste importante assunto, a responsabilidade ligada diretamente a sua auto-psicologia, intitulado "Você é o responsável..." de Janette Rainwater. Excelente trabalho. Pesquisa no Google.
Quem conhece Viçosa do Ceará sabe que é uma cidade exemplo em administração pública e referência aí no Ceará como sendo uma cidade onde os investimentos da arrecadação dos impostos e subvenções adquiridas, são investidos no social dignamente, isto há alguns anos, não sei atualmente como está. Certa época ele foi tida como uma das cidades melhor administrada no Nordeste, uma referência. Mais lá também as drogas é um sucesso e é moda, e nas festinhas regadas às bandinhas de porró, o bicho pega e a insanidade e o delírio dormente ou os traumas que estão memorizados no subconsciente desde a barriga da mamãe, vem à tona e como só vem os traumas induzido pelo álcool e drogas, o que prevalece é o desequilíbrio geral, confusões e até morte. Esta realidade precisa da interferência dos governos imediatamente. Agora com esta bagunça generalizada que o país vive há anos, eu sinceramente não sei que governo civil dará jeito, realmente não sei, e vejo a pseudo-democracia para os ricos do país e não para todos, em um quadro de gravíssimo risco político. Mas quando o assunto é dinheiro fácil, sujo e lavagem deste, através de esquemas que implicam o social envolvendo o seu seio, a família, quem bota para quebrar e está ligado diretamente a esta questão, através de esquemas que envolvem o lixo musical e cultural atual, não dão a mínima para a terrível e catastrófica realidade do atual e devastado conceito sobre a questão sociedade e família brasileira. Porque o dinheiro sujo, fraudado e sonegado fala mais alto e a dignidade do povo brasileiro que vá para o sexto dos infernos porque o quinto lotou.

Luiz Teotônio Mendes disse...

Todos ficamos sabendo de um tempo para cá, que o álcool é uma droga e liberada, mais o que poucos sabem é que o efeito no cérebro em se ingerir um copo de cachaça equivale ao efeito de se ingerir um grama de cocaína, está provado cientificamente, portanto está feita a baderna e o que se pensa é posto em prática, é assim que o álcool age.
Já socialmente, a liberada, devastadora e barata bebida alcoólica gerou, gera e gerará desgraças ainda maiores do que são as cidades brasileiras atualmente, em especial as perigosíssimas capitais. Isto por ser a droga álcool, liberada em qualquer buraco e estar ao alcance até de um menor de idade. Contribuindo estes fatos diretamente para a destruição primeiro da família, do cidadão e em seguida do social, e quando associado a outros tipos de drogas como as farmacêuticas, como os entorpecentes e como vários outros tipos de tóxicos pesados, ocasiona o que temos hoje em dia, não isentando mesmo no interior mais longínquo, o oportunista crime organizado com suas drogas, entorpecentes e tóxicos pesados como crack, cocaína, merla, cristal e outros lixos assessorados pelas musicalhas e decadentes bandinhas de décima categoria. Agora associe a esta catástrofe o envolvimento de policiais que não tem condição da dar proteção à sociedade porque o crime organizado dar melhores condições financeiras através da corrupção, subjugando os que estão ali para defender a sociedade e proteger o povo que paga através dos impostos os seus salários, a trabalhar para eles os criminosos, uma vez que, o Estado brasileiro que arrecada trilhões em impostos e paga mau a todos, perdeu o total controle sobre tudo o que implica a segurança pública e nacional.
O Brasil está sendo transformado aos poucos em um campo de concentração com fortes tendências a ser uma Somália em menos de 150 anos, e onde cidades como a que resido atualmente também será tragada, uma vez que, repito mais enfaticamente, o Estado brasileiro perdeu há décadas o controle sobre a organização da sociedade, da segurança pública e da segurança nacional que envolve as fronteiras, dando passagem ao crescente cartel das drogas, que é quem manda e quem decreta a pena de morte no Brasil. Este gravíssimo quadro já acontece faz um bom tempo, o que torna a crescente e grave situação brasileira mais perigosa, colocando em risco eminente cada cidadão e o território nacional, que está abandonado e a mercê de interesses financeiros internacionais dos que já roubam o Brasil há décadas, jogando todos os brasileiros onde estamos atualmente, em um caos social com 48 mil assassinatos anualmente e em ascensão. Vivemos uma guerra social há décadas, em 1974 acontecia 12 mil assassinatos, um absurdo à época e em 2009, 48 mil assassinatos e todos acham normal e que não está acontecendo nada. Isto com tendências estatísticas reais do Brasil entrar em uma guerra civil muito em breve, caso não se mude a maneira de tratar o povo brasileiro através da pesada carga tributária sem retorno para o social e com investimentos maciços em vários setores, prioritariamente no setor a reforma agrária, que organizou vários países e que pode ser desenvolvida em qualquer município brasileiro, independente dos ausentes governos que administraram o Brasil até o presente.

Aquele abraço!

Luiz Teotônio Mendes disse...

Claudimar, onde foram parar os dois outros comentários sequência destes últimos publicados?

Existe algume política para publicação dos comentários em seu blog, se existe, não vi?

Adolfo Maia disse...

Caro Luiz,

Aconteceu um problema aqui e nao vimos essa duas suas mensagens, mas agora publicamos.

O blog conta com moderação de comentarios para evitar que exista ofensas a terceiros.

abraços