terça-feira, 10 de agosto de 2010

Artigo - "Ai meu Deus se acaba tudo (3): Para que os mais novos não esqueçam a história da Semana do Estudante

Desde a natural e lenta retomada do movimento estudantil em Icapuí a partir de 1995, especialmente com a atuação dos grêmios das escolas Prof. Mizinha e Gabriel, as atividades voltadas para tornar relevante o papel dos estudantes no Município vinha sendo exigidas para não se permanecer em um processo educativo que se reduz a uma prática resumida à sala de aula, mas oportunizem momentos de formação para o estudante local, especialmente na sua ligação a movimentos de integração e formação política.

Incipientes por assim dizer, seria irresponsável caracterizar tais movimentos como dentro de padrões satisfatórios de atuação e eficácia nos processos de educação política no Município, mas seria igualmente injusto não considerar que, mesmo em sua pequenez, ele deu vida e formação a muitas lideranças políticas atuais no Município que hoje assumem postos e posições no governo e fora dele.

De práticas anteriores, e pelas limitações de articulação, envolvimento, compreensão dos papéis dentro das atividades educativas por parte dos grêmios e dos estudantes como um todo, a SEMANA DO ESTUDANTE surgiu em 1996 como um momento de comemoração do Dia do estudante, realizado sempre e nacionalmente em 11 de Agosto. Até então, nenhuma referência à validade e importância da data havia sido feito, pelo menos que nos tenha chegado algum registro. Dessa forma, o Departamento de Educação Básica, a partir daquele ano, fez questão de incluir no seu calendário letivo tornando uma atividade tradicional da Secretaria da Educação.

A semana sempre se configurou como uma comemoração aberta, espaço de descontração, festa, lazer, atividades artísticas, jogos e em alguns momentos de formação e reflexão para a classe estudantil local. Inclusive, a coincidência com as comemorações com a Semana dos Direitos Humanos, fez em 1997, incluir dentro da semana atividades relativas a este tema. Ano a ano, estes dois aspectos, o lúdico-cultural e o educativo passaram a compor a Semana do estudante.

Normalmente, até 1998, a participação dos estudantes na elaboração e execução da semana sempre foi tímida, até pela ausência de lideranças estudantis nas equipes de coordenação, mas em 1999, a Direção do Departamento de Educação Básica cuidou de não mais preparar e ofertar a semana, mas em envolver mais Departamentos da secretaria da educação e também as lideranças estudantis. Ainda assim, a criação e elaboração das atividades, ainda ficaram muito restrita ao Departamento de educação Básica.

O ano de 2001 veio coroado pela afirmação da UMESI, que sempre estava redefinindo novas lideranças, e pela exigência de que a semana do estudante nascesse e se tornasse eficiente a partir da elaboração e coordenação das lideranças estudantis, ficando para a Secretaria da Educação e Cultura apenas as atividades de coordenação geral e articulação.

No ano de 2002, pelo sucesso do ano anterior, o natural foi que as práticas positivas se repetiram, com muito mais integração e diversidade. De fato, a VII semana nasceu pela diversidade e igualdade, numa semana feita para todos apesar do jeito próprio de cada um de ser. Daí o slogan da época “Somos muitos, somos diferentes, somos fortes”. Para isso, tornaram-se importantes, pelo porte que ela alcançou e com a integração do FESTAL a essas atividades, no cuidado de pensar, todos os grupos de escolas e técnicos da educação na sua operacionalização técnica e financeira. O sucesso de 2002 pegou a cidade de surpresa, tornando a Semana do Estudante um dos maiores projetos culturais e desportivos do Município, com a maior participação e envolvimento direto da juventude e envolvendo o maior número de pessoas da comunidade.

No ano de 2003, a Secretaria da Educação e Cultura, juntamente com todos os grêmios das escolas locais, com a participação dos representantes da União Municipal dos Estudantes Secundaristas de Icapuí (UMESI) e da então Associação dos Universitários de Icapuí (ASSUMI), Coordenadoria de Desporto e Educação Física (CODEF) e Departamento de Arte e Cultura, com antecipação discutiu e preparou a VIII SEMANA DO ESTUDANTE, que foi realizada de 12 a 15 de Agosto, com tema “ JOVEM, TEMOS HISTÓRIA? FAZEMOS HISTÓRIA – Ceará 400 anos, Icapuí 20 anos. A idéia foi realizar um evento de grande porte e de sucesso como vinha sendo as edições anteriores da Semana do Estudante. O período, sempre marcado por gincanas, jogos, exposições, festas, desfiles, teatro, dança, oficinas, seminários, etc. teve sua proposta concentrada e destinada a atingir os adolescentes e jovens das escolas locais e a comunidade em geral. A Semana do Estudante, que vinha se tornando evento tradicional dos calendários das escolas e do Município realizou sua 8ª edição num clima de intensa festividade e participação de alunos e comunitários, oferecendo uma programação recheada de jogos, gincanas, festas, lazer, arte e cultura, entre outras atividades, trazendo para a sede do município um enorme contingente de estudantes e jovens em geral, especialmente nas atividades noturnas. Avaliada unanimemente como tendo superado o sucesso da Semana do ano de 2002, o evento chegou a atingir diretamente adolescentes e jovens das escolas de educação infantil e ensino fundamental do Município e mexeu com toda a comunidade ao seus redor. O tema daquele ano ressaltou a reflexão sobre os 400 anos de Ceará, 20 anos de Icapuí, a ser comemorado em 2004, e as histórias locais das pessoas, dos movimentos estudantis e da cidade. Uma grande equipe e um trabalho organizado e de conjunto garantiu o funcionamento e o sucesso de um grande feito da Prefeitura Municipal de Icapuí.

No ano de 2004, a semana aconteceu entre os dias 17 a 20 de Agosto, fundamentada nos mesmos propósitos das edições anteriores, alcançando sempre os objetivos almejados. Dando continuidade ás comemorações dos 20 anos de emancipação, a semana trabalhou com o tema “20 anos crescendo juntos: o município e os estudantes, dando ênfase ao papel dos estudantes na construção do município e às grande políticas realizadas em prol da educação de todos. Novamente, o sucesso foi garantido, ainda que com algumas dificuldades de espaços e recursos financeiros suficientes.

Com esta marca, a intenção foi caminhar com planejamento e organização no sentido de angariar apoio financeiro destinado a garantir a continuidade do evento e preparar com sucesso As demais semanas subseqüentes. Em 2005, no entanto, por força de diversas circunstãncias não aconteceu a 10ª edição da Semana do Estudante que já estava marcada para o período de 30 de Agosto a 02 de Setembro de 2005, com o tema “DESCOBRINDO E VALORIZANDO TALENTOS”.

De lá para cá a Semana caiu no esquecimento e deixou de ser uma referência de festa e congraçamento do alunado. Não houve planejamento nem mobilização da gestão pública pare esse importante evento nos últimos anos. O alunado atual nem sente a falta do evento, posto que não se posiciona frente a essa ausência. Afora muitos acertos que o evento inspirava, é certo dizer que a perda é grande e a ausência é marcante. Hoje, as escolas buscam manter viva essa memória com atividades pontuais, mas com poucas condições. Instituições externas procuram assumir essa tarefa que a princípio seria da gestão municipal ou em parceria com ela. Penso que o sentimento de saudade é compartilhado por muitos e muitos. Ou estarei errado?

6 comentários:

Corpo meu, minha morada! disse...

Sim, você tem toda razão! Eu fiz parte dessa história enquanto movimento estudantil (UMESI). Acho que nós do movimento estudantil temos uma parcela de responsabilidade por esse "esquecimento". Não formamos novas lideranças, não estimulamos a prática do movimento estudantil e isso foi se perdendo assim como as plantas que morrem por falta de irrigação!

Belíssimo artigo Clotenir.

Abraço, Laís

Robson Almeida disse...

Parabéns pelo artigo,
Eu, por exemplo, participei ativamente de todas as Semanas do Estudante em Icapuí, sobretudo na organização das inesquecíveis gincanas culturais e nas atividades artísticas. Realmente, a ausência deste evento causa um profundo vazio no calendário icapuiense. O resultado das semanas do estudante eram sempre produtivas, as quais eram repletas de reflexões, lazer e comemorações.

Robson

Marquinhos disse...

Lembro das primeiras Semanas dos Estudantes quando era presidente do Gremio da Escola Gabriel, eram um pouco tímidas mais representavam os momentos dos estudante que comemoravam o seu dia, graças ao apoio do governo municipal da época. A cada ano a Semana dos Estudantes crescia tornando-se uns dos maiores eventos culturais, esportivos, politico e educativo do nosso municipio.
Com a chegada do governo (digo desgoverno) que prometia até criar a secretaria da juventude o que eles fizeram foi acabar com eventos voltados para a juventude icapuiense, isto é "passaro o rodo", o que eles fizeram na verdade foram destruir momentos de alegrias, sonhos e principalmete eventos como a Semana dos Estudante que envolvia todos os estudantes do nosso municpio.
Precisamos CONSTRUIR o verdadeiro NOVO para o POVO icapuiense.

Daniel Freitas disse...

eu tenho o último trófeu da gincana do estudante estampado no meu quarto até hoje!

motivo de orgulho!

oww época boa!!!!!

Francisco disse...

Mais se trocou tudo isso por coisa alguma, inclusive muitos dos jovens que participaram ativamente da contrução do movimento estudantil, e viram esses momentos de perto, se dobraram as benesses do sistema esquecendo tudo que aprenderam na escola dos movimentos populares e hoje fazem parte ou apoiam esse governo torto e servem de instrumento na descontrução da historia desse municipio.
E uma pena!!!

Kilidin disse...

Momentos inesquecíves que hoje não existem mais.

"No meio do caminho tinha um rodo tinha um rodo no meio do caminho tinha um rodo no meio do caminho tinha um rodo"