terça-feira, 24 de agosto de 2010

Diário do Nordeste: Moradores dão apoio a motorista

Motorista Francisco Assis da Cruz quer apenas voltar a trabalhar
DIVULGAÇÃO - Diário do Nordeste
 O jornal Diário do Nordeste de hoje traz uma reportagem sobre Seu Assis da Redonda, que perdeu seu meio de transporte no dia 30 de junho em meio aos protestos dos pescadores na praça central.Assim seu Assis ficou transporte em que trabalhava à vinte anos. Para ajudar o motorista Assis Cruz, ligue (88) 8805.4073 ou (88) 8804.1233

Abaixo a matéria completa do Diário do Nordeste de hoje:
GUERRA DA LAGOSTA

Moradores dão apoio a motorista

24/8/2010
Assis Cruz teve seu carro queimado no dia 30 de junho, em protesto feito por pescadores no Litoral Leste

Icapuí. Quando no dia 30 de junho deste ano uma multidão revoltada alcançou o carro de seu Assis Cruz e exigiu que ele saísse, o motorista clamou que não fizessem nada "pelo amor de Deus". Quando mais uma vez insistiu que não tocassem fogo, teve que escolher entre morrer queimado junto ao veículo ou sair da frente. Era um ato de vandalismo de grupos de pescadores da lagosta em Icapuí em retaliação a um dos vários conflitos no mar. Um mês e meio após perder o seu ganha-pão, o motorista do coletivo recebeu a ajuda da comunidade para comprar um novo veículo e, assim, voltar a trabalhar. O bingo beneficente brindava com uma moto o dono da cartela sorteada. Mas o que foi arrecadado só deu praticamente para pagar o prêmio.

O carro destruído foi de Francisco Assis Cruz, o "Assis da Redonda", mas poderia ter sido de qualquer outro motorista que, como ele, trafega na linha do Centro da cidade até Redonda, da comunidade do grupo de pescadores artesanais e que, em guerra travada em alto mar contra os pescadores ilegais, fazem justiça com as próprias mãos. Conforme noticiou a reportagem na época, o conflito no dia 29 de junho deixou dois feridos a bala, vítimas da comunidade de Barrinha. Em retaliação ao que teria sido causado pelos pescadores da Redonda, o grupo de revoltosos chegou até uma van branca com destacado adesivo Icapuí-Redonda.

Atingir um veículo para intimidar a comunidade, enquanto seu Assis era carregado desmaiado para o hospital, depois do pânico com a retaliação.

Logo ele, que não é pescador nem participa dos conflitos envolvendo a pesca da lagosta na terra e no mar de Icapuí. "Ele fazia o transporte nessa linha há mais de 20 anos. E de repente parar da forma que terminou. A gente está preocupado, só em ele estar em casa é deprimente, até a doença dele nos nervos se agravou, tem uma tremedeira parecida com mal de Parkinson, mas não lembro o nome. Todo mês ele faz exames em Fortaleza", conta o jovem Célio Cruz, um dos seis filhos de Assis da Redonda, que sofre de hipertensão arterial, e dona Moça, como chamam carinhosamente a esposa Raimunda Francisca.

Tudo perdido

A destruição do carro de Assis Cruz, de 64 anos, aconteceu numa manhã de quarta-feira, quando ele já se preparava para voltar para a comunidade levando passageiros e suas mercadorias. No incêndio, tudo ("menos a vida") foi perdido, até uma quantia de R$ 2,5 mil do próprio motorista que os vândalos não o deixaram resgatar. "Meu pai sempre foi prevenido, se acontecesse um problema, o carro quebrar, ele resolveria logo", afirma Célio Cruz. Sem o dinheiro que arrecadava com o transporte de turistas e dos moradores da Redonda, a situação em casa ficou mais difícil.

Apesar das denúncias sobre os autores do incêndio com o carro do pai, ninguém foi preso. A família do motorista decidiu processar o Estado: durante a virada do veículo, havia policiais no lugar, mas não impediram que os manifestantes levassem o carro para outra rua e lá ateassem fogo. O bingo beneficente para ajudar o motorista ensejou o movimento da tradicional Regata de N. Sra. dos Navegantes, em Redonda.

Melquíades Júnior
Colaborador

MAIS INFORMAÇÕES
Para ajudar o motorista Assis Cruz
(88) 8805.4073
(88) 8804.1233


Fonte: Diário do Nordeste

Um comentário:

Thiago disse...

Mais uma vez.
Vemos mais uma vez nossa querida icapui ser noticiada através de uma triste noticia.
Até Quando? até que ponto? que proporções isso irá tomar até que as autoridades a quem compete tome a "rédeas curtas" a pesca em icapui?
Será que é preciso que aconteça mais tragédias iguais ou piores as que ja aconteceram, para que se tome alguma medida?

Povo de Icapui, aproveitem os comicios que acontecerão em nossa cidade e reinvidiquem dos politicos, atitudes urgente para que resolvam essa situação.
Por enquanto está tudo calmo, mas logo em breve começará o defeso e novamente os conflitos. Entendam uma coisa; isso é questão de saúde pública, direto e indiretamente estamos todos envolvidos, todos somos atingidos de alguma forma.
Não fiquemos a "chocar ovos", Vamos a Luta e busquemos os nossos direitos.