quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Artigo: O papel da imprensa é informar, doa a quem doer

O professor José Wellington da Silva Pinto aborda neste artigo "O papel da imprensa é informar, doa a quem doer" sobre o papel da imprensa em face da crescente polêmica que a envolveu a essa eleição no Brasil. 

Você também pode escrever para o Blog, basta enviar seu texto para o nosso e-mail: acidadeicapui@gmail.com. 

Leia abaixo o Artigo do Professor Wellington Pinto, que nos foi enviado por e-mail:


O papel da imprensa é informar, doa a quem doer

José Wellington da Silva Pinto
Professor da Escola de Ens. Médio Prof. Gabriel Epifânio dos Reis

É muito perigoso quando um órgão de comunicação se torna um partido político, no caso o Estadão e a revista Veja. O Estadão no seu editorial, “ O mal a evitar” do dia 25 de setembro, assumiu de vez que apóia o Serra : “Com todo o peso da responsabilidade à qual nunca se subtraiu em 135 anos de lutas, o Estado apoia a candidatura de José Serra à Presidência da República...” Todo órgão de comunicação no Brasil é manipulado por interesses econômicos, tolo é acreditar que esses órgãos estão isentos de politicagem.Toda semana a revista Veja trás uma denúncia contra o PT querendo envolver a candidata  a presidente, Dilma. Até parece que o Serra  é o símbolo da moralidade e da ética nesse país, não se vê nesses órgãos de imprensa da direita uma crítica aos candidatos do PSDB e do DEM, e sabemos o quanto o DEM é sujo politicamente. Um leitor atento e consciente parcebe na leitura o quanto a imprensa brasileira perdeu sua compostura ética. A rede Globo a toda poderosa da família Marinho foi decisiva na eleição do Collor de Mello a presidente e quando seus interesses foram contrariados tiraram o Collor do poder.A Globo manipula pesquisas, debates, o Lula foi vítima várias vezes dessa manipulação. Atualmente com o crescimento da Record o poder da Globo foi diminuído, mas continua com as garras afiadas, vejam que o último debate a presidente quem vai transmitir nada menos que a rede Globo. 

O papel da imprensa investigativa é trazer à tona fatos reais, sem  cortes, sem ideologias, sem partidarismo... A imprensa em um país onde o povo não participa das decisões políticas, onde seus políticos se rendem ao econômico, é preciso que a imprensa preencha essa lacuna, doa a quem doer. 

Enfim, numa cidade como Icapuí onde poucos se atrevem a escrever, seja por acomodação, limitações,coragem...os poucos órgãos de comunicação da cidade não pode cair no pecado de fazer política partidária, enaltecendo figuras que mais tarde podem se tornarem coronéis políticos, acima do bem e do mal. A nossa rádio tem que cumprir seu papel cultural, um blog postar fatos reais, ter o cuidado para não cair no partidarismo.Quando isso acontece as pessoas se afastam e quem perde é os Cidadãos que poderiam ter um órgão informativo e por causa da perversão “política” perdem a credibilidade.

Um comentário:

João Paulo disse...

Muito bem fundamentado seu artigo Wellington, a veja sempre ligada a direita no brasil,só não podemos esquecer que não existem santos na política.