terça-feira, 21 de setembro de 2010

Polícia Federal apreende barcos na Praia da Redonda

Barcos que faziam a fiscalização na Praia de Redonda
(foto: www.acidadeicapui.com.br)

Atualização às 12:15H

Em operação da Polícia Federal realizada na manhã de hoje na Praia de Redonda em Icapuí, foram apreendidos dois barcos que os pescadores da comunidade utilizavam na fiscalização ilegal contra a pesca predatória da lagosta, já que o combate desta prática é de responsabilidade do IBAMA. Aproximadamente dez carros da PF com cerca de 50 agentes realizaram a operação, que tiveram apoio de uma lancha e dois navios da Marinha.

A comunidade da Redonda, desde o ano passado, está envolta nos conflitos da pesca da lagosta. A imprensa cearense denominou esses conflitos de "Guerra da Lagosta", que ocorre entre os pescadores artesanais (Redonda) e os pescadores ilegais de lagosta (Barrinha, Tremembé e Centro) no município de Icapuí.

O ultimo episódio deste conflito aconteceu no domingo (19/09), quando foi capturado mais um barco de propriedade de Sandro José da Silva. Segundo a Polícia Militar, cerca de dez homens armados abordaram o pescadores e conduziram o barco até terra firme, onde já estão cerca de 16 barcos apreendidos pelos pescadores da comunidade nos últimos meses. "Neste momento acaba de acontecer uma das coisa mais injustas que já vi. A Polícia Federal acaba de apreender os barcos de fiscalização dos pescadores da Praia Redonda. Estão levando os barcos e deixando a miséria para trás, pois é o que restará aos pescadores artesanais a partir de agora. E viva a injustiça dos atos legais!", disse um morador da comunidade de Redonda sobre a operação da Polícia Federal.

A apreensão dos barcos era uma das reivindicações dos pescadores que fazem pesca predatória da lagosta, nas manifestações que fecharam as ruas da cidade neste ano e em 2009.  A alegação dos mesmos é que a fiscalização deve ser feito pelos orgãos competentes. Mas, devido a fragilidade desta fiscalização, o intuito deles é poder voltar a pescar a lagosta através de métodos ilegais.

O clima entre os moradores de Redonda é de tristeza, indignação e revolta pelo ocorrido na manhã de hoje. A  maioria dos pescadores estavam no mar e a questão discutida é qual será a reação dos mesmos quando retornarem do trabalho, qual será o desdobramento desta ação implicará para a vida do município.

Segundo informações, os alguns moradores tentaram impedir a apreensão dos barcos pelos agentes, que fizeram disparos com bala de borracha e bombas de efeito moral para afastar a multidão. Um pescador foi baleado mas passa bem. O navio Monsenhor Diomedes I e lancha Monsenhor Diomedes II foram apreendidos e estão sendo levados para a sede da Polícia Federal em Fortaleza.

A Comunidade fará hoje às 16:00h uma reunião junto com um advogado para entrar com uma ação na Justiça Federal em Recife para tentar revogar a decisão do juiz, que concedeu a apreensão do barcos.



Texto: Adolfo Maia / Claudimar Silva

13 comentários:

brother disse...

"INJUSTO ?" E SERA QUE TUDO O QUE ELES FIZERAM COM PESCADORES E AS ENBARCAÇÕES QUE ELES ROUBARAM NÃO SERIA A PIOR INJUSTIÇA?

ATIRAR EM PAI DE FAMILIA,SAQUEAR AS EMBARCAÇÕES,BATER E HUMILHAR OS PESCADORES... SERÁ QUE TUDO ISSO QUE ACONTECEU NÃO SERIA A PIOR DAS INJUSTIÇAS?

£ldeva@n disse...

A comunidade espera que agora os órgãos competentes assumam a responsabilidade de fiscalizar esses barcos que pescam ilegalmente. O que não se pode admitir é que os pescadores artesanais sejam impedidos de exercer essa atividade econômica por aqueles que a fazem injustamente. Essa é a nossa luta há mais de 20 anos!

thiago disse...

Eu acho uma grande enjustiça, e tenho vergonha de mora em pais tao injusto como esse, a competencia do ibama falha , os pescadores auxiliam vem a policia federal leva o extrumento de defesa dos pescadores onestos ,agora para que?a ja sei acoita as coisas estupidas de quem pesca de mergulho eu pensava que era proibido mas agora ja sei que a lei no brasil e nota (10) tirando o n(1) e colocando n(0,),ta na hora de todo mundo nao da mais nenhum voto pra ninguem principalmento pelas as autoridades politicos de icapui,que nao resolve porra nenhuma so fica no lado errado.

thiago disse...

e injustiça o que fizeram

AnDrÈ disse...

Caraca que festival de erros ortográficos são esses?? kkk

A voz de Iguatu disse...

A responsabilidade pela fiscalização dos mares é de competência da marinha, não sendo dado a nenhum cidadão o direito de abordar armado nenhuma embarcação, ainda se recuperam dos ferimentos a bala os pescadores que levaram tiro de 12, e dos ferimentos morais aqueles que foram obrigados a tirar a roupa nos barcos e pular e foram saquedos por esses marginais que se arvoram da autoridade. Que a paz agora reine por que quem quer paz não anda armado e perseguindo os outros.

Emilio Konrath - Catamaram Mås disse...

Muito engraçado, "A Voz de Iguatu", que diz "A verdade, apenas a verdade" se apresenta de forma anônima. A primeira verdade de uma pessoa é a sua identidade.
Quando se afronta a lei, não se é trabalhador. Quem afronta a lei é criminoso, ou contraventor. Os traficantes dos morros cariocas também se dizem trabalhadores, e os apontadores de jogo de bicho também se dizem trabalhadores.
A verdade é que a pesca ilegal traz um prejuízo enorme ao setor, tendo aviltado o preço da lagosta a um nível insustentável.
Esperamos que as "otoridades" agora façam a fiscalização, mas realmente eu não acredito nisto.

DOMIKADO disse...

A comunidade de pescadores de Redonda sempre lutaram para ser escutado e para proteger o meio ambiente no seu territorio de pesca.

Os piratas do mar sao gente sem vergonha e os que compartem essa tecnica de pesca predatoria tambem. A pesca de compressores é totalmente proibida no mundo inteiro, porque os politicos (Prefeito Edilson) se permitem de festejar o que acaba de acontecer.

A comunidade de Redonda tem barcos de fiscalisaçao porque eles nao tem otra maneira de lutar contra essa mafia e pirataria. Os organismos legais nao ajudam.

Podemos realmente falar de um sistema mafioso onde estao envolvido, empresarios, politicos e pescadores (irmaoes dos de Redonda).
Eles utisam tanques de produtos quimicos reciclados para faser marambaia. Uma vez de baixo da agua a lagosta encontra uma moradia e crece em um ambiente quimico+ferugem.

Minha filha ficou muito doente por causa disso.

O grande problema é que Lagosta, nao vai ter mais se nao tomamos todos juntos a responsabilidade de cuidar do mar. 70% dos oceanos nao produz mais peixes por justamente uma pesca intensiva e pirata.

Vocés podem se informar na internet o no Institut Océanographique Paul Ricard na França. A presidente desse instituto veio em Redonda e nos contou os problemas com os oceanos e as empresas de pesca intensiva. Estao matando tudo que tem, muitas especies desapareceram e a reproduçao ficou complicada.

O Brasil que deveria ser um pais de responsabilidade ambiental nao esta tomando o bom caminho. É uma grande desilusao.

No mundo as novas economia estao se desenvolvendo com a sustentabilidade e funciona muito bem, as empresas sao de alta tecnologia e cuidam dos seus empleados que participam activamente no desenvolvimento com um cuidado ao meio ambiente.
Porque nao seguimos esse caminho que permite um melhor equilibrio na vida de todos nos e do nosso planeta?

Protegendo o seu territorio os pescadores de Redonda fazem parte dessa nova visao. Cuidar do meio ambiente, génerando reproduçao de lagosta e dando de comer as suas familias.

Hoje a situaçao é catastrofica e os piratas estao pescando no territorio de Redonda robando os frutos daqueles que nao tem mais barco para fiscalisar e sem ajuda do IBAMA organismo de deveria respeitar as leis maritimas.

jessica disse...

oh meu Deus até que enfim a justiça está sendo feita...mas vcs acham justos...pegar pais de familia,trabalhadores,que dão duro para ganhar seu sustento..apanharem,ficarem sem seus objetos pessoais,sem poder se mexer,pois esses marginais burros,jumentos,ordinarios da redonda...queriam vingar o carro que queimaram aqui em icapui..matando pescadores do barco numeros...se ponham no lugar desses pobres e se fossem vcs gostariam de ser humilhado,ameaçado e etc.gostariam de estar no canto deles?ñ gostariam...sei q tbm alguns estao errados...mas tbm q ñ erra nesse mundo...quererem matar os pescadores,sendo pessoais iguais a vcs dignas..mas eu acho q deus tá vendo tudo o q vcs fazem com os pescadores,de tremenbé de quitéria,do centro e etc...
por isso q a justiça está sendo feita..mas nem todas pessoas da redonda são assim...
ah meu deus káda defedendo isso..pegar barcos e matarem os pesacdores desse lugar...
olha vou lhes dizem uma coisa todos desses municipios q citei estão revoltados com kadá,ñ só com kadá mas com todos as autoridades do municipio...olha voz de iguaçu eu nada menos corretissima sua opinião...que permaneça apaz hj,amanhã e sempre..
agora seu emilio...vou te dizer uma coisa vcs querem tampar o sol com a paneira...achando certo q esses marginais incapuzados da redonda são vitimas e naum culpados por tudo isso..
vc gostaria de estar no cantos de um desses pescadores?
ninguém quer...
por isso naum me calo e digo isso e muito mais,sei q ñ tenho nada a ver com essa confusão mais eu tbm tenho coração tenho sentimento..
e tenho pena das familias q perderam seu unico sustento..para esse povo sem coração...deus está vendo...

romulo disse...

foi muito bom o que a federal fez pos aquele barco na praia da redonda ainda ia morrer muita gente como o seu asis que a em casa elle sofrel muito em fortaleza no IJF o rapaz levou um tiro e tauves nem voute a andar isso e uma coisa que se fassa com um pai de familia um e a policia federal ta de parabéns por ter levado o barco ?

DOMIKADO disse...

http://www.youtube.com/watch?v=e-cLS-SI5_s

DOMIKADO disse...

Proibição da caçoeira na pesca da lagosta depende de decisão do IBAMA
Participantes e palestrantes do II Seminário de Pesca Responsável no Brasil concluem que a pesca da lagosta só pode existir com sustentabilidade eliminando-se a pesca de compressor e proibindo-se o uso da caçoeira. A decisão de retirar a caçoeira da pesca da lagosta cabe ao Dr. Marcus Barros, Presidente Ibama. Segundo especialistas australianos, norte-americanos e pesquisadores brasileiros, a única forma de garantir o futuro dessa atividade econômica, que gera segurança alimentar e renda, é a utilização de armadilhas como o manzuá e a cangalha, instrumentos da pesca artesanal. A discussão envolveu ainda empresários e palestrantes do governo, que concordaram que a pesca da lagosta precisa de um grande pacto social, que deve levar à gestão compartilhada, dividindo poderes e responsabilidades.

Uma das propostas veiculadas no seminário foi a retirada da caçoeira a cambio da concessão de permissões de pesca para pesca artesanal.

São freqüentes mortes de mergulhadores associados à pesca de compressor, e o Brasil é o único país do mundo a permitir a pesca de lagostas ovadas. Durante o Seminário, que contou com a presença de cerca de 300 pessoas, houve uma dramática apresentação sobre a pesca de compressor, com centenas de mergulhadores vítimas da exploração pelos donos de barcos com equipamentos precários. Os conflitos no mar desses barcos pesqueiros com pescadores artesanais aumentam, e a resolução deles depende da fiscalização do Ibama. A proibição da caçoeira, além de diminuir o excesso de esforço de pesca, também ajuda a diminuir a mortalidade de tartarugas marinhas, associada ao uso da rede e à captura de peixes com valor comercial que são descartados no mar. Segundo o estudo Seafood Report, é grande a rejeição enfrentada pela lagosta brasileira no mercado dos Estados Unidos (destino de 98% da exportação), devido ao péssimo ordenamento da pesca e o uso do compressor e da caçoeira.

A apresentação da APA dos Corais de Pernambuco demostrou o potencial do uso de áreas reservadas para pesca artesanal em co-gestão com as comunidades do litoral para a exploração racional da lagosta na zona costeira. Uma APA já está sendo recomendado pelo Comitê de Gestão sustentável da Lagosta (CGSL) para a área de Beberibe.

Destaque para a apresentação do Dr. Bruce Phillips, que chamou atenção para o ordenamento que levou à certificação de sustentabilidade da lagosta australiana, e do agente americano Paul Raymond, que veio ao Brasil para ajudar o Ministério Publico Federal a apurar os crimes ligados à lagosta miúda. A pesquisadora do Ibama Dra. Sonia Maria Martins apresentou os resultados do recadastramento da frota de pesca do Nordeste que foi realizado em 2005, comprovando que o problema da pesca artesanal não é um problema de esforço de pesca, mas de consciência e educação ambiental. O evento contou ainda com a presença de muitos pescadores e pescadoras de comunidades do Ceará, que trouxeram a proposta de construir um Código de Conduta para Pesca Responsável, para ajudar no combate à pesca predatória e à conscientização dos pescadores, mudando a forma de explorar a pesca da lagosta.

Os resultados do seminário serão levados para o Comitê de Gestão do Uso Sustentável da Lagosta – CGSL, que se reunirá no mês de março em Brasília para tomar as decisões esperadas quanto ao assunto. O II Seminário Internacional para Pesca Responsável foi uma iniciativa do FPPLC - Fórum dos Pescadores e Pescadoras do Litoral do Ceará e do Instituto Terramar patrocinado e financiado pela FAO (Organização das Nações Unidas para a Nutrição), a Fundação AVINA e a Associação dos Amigos da Prainha do Canto Verde. Ainda apoiaram o evento Ibama, SEAP, Sindfriopesca, Labomar e o Dept. de Engenharia de Pesca da UFC, FIEC, Fundação Konrad Adenauer, Assembléia Legislativa do Ceará.

O documento final do seminário e outras informações já estão disponíveis neste site.

DOMIKADO disse...

LAGOSTAS EM EXTINÇÃO

A pesca predatória está acabando com a lagosta. O crime contra o meio ambiente coloca em perigo também mergulhadores despreparados.

http://www.acidadeicapui.com.br/2010/09/policia-federal-apreende-barcos-na.html