quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Artigo: A colheita da morte

 A colheita da morte
Escrito por Wellington Pinto
Professor
 
Parece sinistro o título, porém é para chocar os icapuienses que estão numa letargia sem precendentes, seja politicamente, eticamente, moralmente,religiosamente e familiar de uns tempos pra cá a morte tem ceifados vários jovens na flor da idade, em acidente de motos.É de se questionar por que tantos jovens possuem motos, sem habilitação, de menores, bebem e chegam fora de hora em casa.É de se perguntar onde estão esses pais que não acompanham o crescimento de seus filhos, seja na escola ou na própria comunidade.A pedra tem viciado muitos jovens e outros são tentados pelos "amigos" a experimentarem o proibido, o jovem sem uma formação se deixa levar, quando percebe é mais um dependente em Icapuí, e diga de passagem que o tratamento é caro e os sistemas de saúde pública ainda não tem centros especializados nesse ramo de saúde.Os pais não percebem o comportamento estranho dos seus filhos? As companhias? Os órgãos precisam fiscalizar esses jovens que andam sem carteira e multar no rigor da lei.Em muitas cidades do Ceará o capacete é obrigatório, por que em Icapui nenhum vereador não referendou uma lei que obrigue os motoqueiros a usarem o capacete? Se o o uso do capacete fosse obrigatório muitas vidas não teriam deixado o convívio do lar.


Na escola Gabriel os pais só aparecem quando são chamados para reunião, deveria ser rotina essas visitas para saberem como anda seus filhos na escola, no entanto não estão nem aí.O turno mais crítico é o noturno onde a evasão é uma coisa assustadora, alunos desmotivados e até drogados em sala.Cadê os pais dos alunos da noite? Alunas que assistem as duas primeiras aulas e depois desaparecem  numa garupa de moto na escuridão da noite.

Costuma falar em sala de aula que a formação de um jovem depende de três pontos básicos: família estruturada, religião, seja ela qual for e escola.Icapuí vive essa crise existencial, lares desfeitos, hoje não se namora mais, é o "fica".Aparece a menina grávida e quem assume são os pais da garota.A presença do pai é fundamental na formação de uma criança. A igreja  até hoje em Icapuí não acertou o passo com a juventude, fica difícil para o pároco conciliar banco e rebanho, porém o padre precisa sobreviver trabalhando, enfim a escola  não tem dado uma resposta satisfatória para os jovens com uma educação de qualidade, onde haja o esporte, a cultura e valores éticos.

Enfim quantos precisam morrerem  para as autoridades  se comoverem e tomarem providências cabíveis; conclamo veemente os icapuienses que pressionem os políticos, autoridades, religiosos... que façam alguma coisa por nossos jovens antes que aconteça outra morte. Precisamos acordar e cair na realidade e salvar quem tem vida em abundância.  

9 comentários:

ClaudiMar Silva disse...

Parabéns Prof Wellington

O seu texto mostra fielmente o retrato atual de nossa juventude. Com poucas exceções de jovens que dedicam sua vida a tríade escola/família/religião, a maioria dos adolescentes se envolvem muito cedo com drogas "legais", como alcool e cigarro - porta de entrada para drogas mais pesadas. Em alguns casos, o incentivo vem de adultos, que irresponsavelmente incitam esses jovens a darem seus primeiros tragos e goles.

A instituição família parece ter se dissolvido. Não há mais aquele temor sadio aos pais, consequentemente, nenhum respeito ou obediência. Os jovens modernos necessitam sim de lazer e diversão, porém, é preciso saber dosar para que os limites não sejam ultrapassados. Os jovens de hoje deleitam-se em uma liberdade inimaginável nos tempos áureos de nossa geração (não tão velha assim).

Os fatos citados pelo professor Wellington, de alunas que somem na escuridão em garupas de motos, são corriqueiros, basta dar uma observada em frente a escola citada. O consumo de drogas também se tornou algo banal, onde as pessoas acham até engraçado ver um adolescente "lombrado". Creio que devemos repensar esses conceitos e mobilizar a sociedade inteira, principalmente as famílias, para que retomem o controle da situação. Do contrário, dolorosamente, este blog continuará sendo palco de notícias trágicas de mortes prematuras de adolescentes com grande potenciais, mas que de tão livres que são, não dão o devido valor a essa liberdade.

Parabéns mais uma vez a Wellington Pinto, pelo alerta!

Professor Wellington Pinto disse...

No último final de semana os professores da escola Gabriel estiveram na cidade de Tianguá percebi que lá a lei é rigorosa, ou seja a lei seca, bebidas alcólicas até 23:OO HORAS DA NOITE, som nas ruas proibido e adolescentes andando fora de hora são levados a delegacia e dispensados com a presença dos pais, resultado, as taxas de homicídios caíram e acidentes também, por que Icapuí não adere a uma lei pela preservação da vida?

JEFSON REIS disse...

A utilização de capacete como item de segurança para o usuário de motocicleta, é uma imposição do Código Trânsito Brasileiro e, portanto, é obrigatória. Desse modo, a Polícia Militar tem o dever de coibir a falta de uso do equipamento no município.

Prof. Mauro disse...

Infelismente essa é a dura realidade que nosso município vive e nossos jovens também. Parabéns Wellington pela excelente reflexão feita de forma tão profunda. Nós professores, escola, sofremos bastante com essa falta de limites que nossos alunos não possuem em virtude de todos os elementos relatados no texto. Acordem jovens, o fututo pertence a vocês, mas saibam construir esse futuro que virá com alicerces mais fortes, pois do jeito que está me pergunto: que futuro teremos? Saibam aproveitar as boas oportunidades que a vida lhes oferece.

Professor Wellington Pinto disse...

Adolfo parte do artigo foi censurado ficando o texto quebrado, estamos em um país democrático é preciso criticar o errado.

Adolfo Maia disse...

Caro Professor Wellington Pinto,

Nós não censuramos seu artigo, ele está do mesmo modo que o senhor nos enviou pelo nosso e-mail.

Nos informe onde está a censura? Pois nosso espaço é caracteristico por ser democratico. Se você acha censura nós termos colocado um LEIA MAIS no seu texto, saiba que isto é um recurso editorial do blog para não extrapolar o limite de nosso layout.

atenciosamente

Adolfo Maia
Editor

Professor Wellington Pinto disse...

Tinha um trecho do descaso da igreja local que não tem conseguido conquistar os jovens para seu seio...
Talvez tenha mandado na íntegra para O Povo, tudo bem, valeu o espaço mais uma vez...

Adolfo Maia disse...

O trecho não seria este:

"A igreja até hoje em Icapuí não acertou o passo com a juventude, fica difícil para o pároco conciliar banco e rebanho, porém o padre precisa sobreviver trabalhando, enfim a escola não tem dado uma resposta satisfatória para os jovens com uma educação de qualidade, onde haja o esporte, a cultura e valores éticos."

Está no artigo, no terceiro paragrafo.

Atenciosamente

Adolfo Maia
Editor

Pensador de Icapuí disse...

Estou horrorizado!
Como pode um professor de ensino médio escrever tão ruim?
Não são as idéias, por sinal são muito boas, mas escrever:

“de menor”

“Enfim quantos precisam morrerem para as autoridades”

Não seria assim “...quantos precisarão morrer para as ...”

O outro professor vai comentar e começa a frase com a palavra:

Infelismente...

Nossa isso me envergonha de ter estudado nestas escolas.

Concordo com Jefson.
Capacete é uma lei federal, não necessita uma lei municipal para isso.