segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Artigo: Droga - O caminho do descaminho

Escrito por Ulisses Venceslau
Professor


Droga: O caminho do descaminho

Não é preciso realizar pesquisas científicas para percebermos o quanto a droga ilícita se prolifera na sociedade. Em nossas comunidades, por onde andamos, percebemos os malefícios causados pelo seu uso, na maioria das vezes vislumbrados no rosto de algum jovem que está desmotivado e distante do verdadeiro sentido de sua vida.

Devemos reconhecer que cada um de nós somos, direta ou indiretamente, vítimas de conseqüências provocadas pelo uso de drogas. Se para os usuários a droga causa dependência química ou a perda de discernimento, para os não usuários ela pode comprometer a qualidade de vida, a paz, a tranqüilidade.

Os telejornais e outros veículos de informação estão mostrando, desde algunsdias, o drama vivido pelos cariocas, sobretudo por aqueles que residem no Complexo doAlemão. As cenas apresentadas pela mídia são absurdas e causam indignação a cada um denós que assistimos as reportagens. E só agora, após o governo operacionalizar o combateaos traficantes, percebemos o quanto estes inviabilizaram a qualidade de vida humana e impossibilitaram o advento da paz e tranqüilidade dos moradores desse lugar.

Ao olharmos para a nossa cidade, percebemos que a situação não é tão assustadoracomo no caso supracitado, mas devemos reconhecer que também sofremos as conseqüências proveniente da inserção exacerbada de tantas pessoas, sobretudo dos jovens, no uso e tráfico de drogas. Não só em nossa comunidade, mas também em todo o município de Icapuí deparamo-nos corriqueiramente com situações tristes, chocantes e até irreversíveis. São situações que caracterizam os males que a droga provoca, na maioria das vezes envolvendo a juventude.

Ao escrever uma linda canção intitulada “O Careta”, o rei Roberto Carlos fala sobre  a droga e afirma: “a porta tão larga na entrada se estreita depois”. E concordando com Ele,  constatamos que, de fato, há uma grande facilidade para os jovens adentrarem no mundo das drogas: muitos deles não tiveram uma boa educação familiar ou religiosa; outros não despertaram o interesse pelo estudo...

Dando continuidade a esse assunto, reporto-me a uma pesquisa realizada pela fundação Getúlio Vargas. Os dados obtidos revelam que o principal “veículo” que conduz os jovens às drogas é a ociosidade. E essa informação mostra-nos a necessidade de serem criadas novas oportunidades para que os jovens desenvolvam suas habilidades e, assim, invistam no seu potencial e na concretização de seu projeto de vida.

Estamos falando dos jovens a todo momento porque não podemos deixar de mencioná-los, afinal, eles são, de um lado, as principais vítimas da disseminação da droga e, do outro, a maior esperança da sociedade.

Que os jovens de nossa cidade compreendam a sua importância no meio social e lutem  sempre pela realização de seus sonhos!

4 comentários:

AnDrÈ disse...

parabéns!! Ulisses pelo artigo,acho que ele deveria ser entrego aos vereadores e ao prefeito,para que os mesmos reflitam e observem melhor o que estar acontecendo em nossa cidade.

ClaudiMar Silva disse...

Parabéns Ulisses,

Seu texto retrata bem a situação alarmante do uso de drogas em Icapuí. As pessoas parecem estarem acordando pra isso somente agora. Porém, há tempos o uso de drogas, principalmente entre os mais jovens, é algo corriqueiro e que vem se alastrando rapidamente.

É necessário que a sociedade e o governo adote uma postura mais enérgica no combate ao uso de drogas. Amanhã, toma posse o conselho municipal de combate às drogas. Na solenidade, terá palestra sobre o tema. Um bom momento para iniciar uma campanha de mobilização de todos contra as drogas.

O futuro da cidade agradece!

Prof. Mauro disse...

Meu caro Ulisses, sua reflexão é muito salutar e oportuna, principalmente por ser um jovem que vê a realidade que o rodeia de uma ótica aguçada. Pena que a grande maioria dos jovens de nossa cidade estajam se perdendo nesse caminho tortuoso. Nós cdadãos icapuienses temos que acordar para esse problema, pois se as autoridades competentes e a sociedade civil organizada cruzar os braços, dentro de pouco tempo teremos a nossa paz e trabquilidade perdida. Precisamos urgente de políticas públicas efeicientes para retirar nossos jovens da ociosidade. Parabéns pela reflexão que faz através desse texto tão coerente que escreveu.

José Lima Dias Júnior disse...

Ótima reflexão acerca de uma questão social que tem afetado não somente Icapuí mais todo o Brasil. É necessário que tenhamos políticas públicas afirmativas que possibilite(m) aos jovens de hoje se despreenderem do uso das drogas e que as futuras gerações não sejam contaminada por esse problema crônico.