terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Ponte sobre Rio Jaguaribe causa transtornos

 Por Claudimar Silva

A ponte sobre o Rio Jaguaribe, em Aracati, é o único meio de ligação, via rodovia, de muitas cidades com o estado do Ceará. Entre os municípios que dependem diretamente da rodovia, que passa sobre a ponte, está o próprio município de Aracati e suas praias super visitadas nesse período do ano, o município de Icapuí e algumas cidades do Rio Grande do Norte. A movimentação diária é intensa, tanto de veículos pequenos quanto de ônibus de passageiros e caminhões de cargas que fazem o abastecimento dessa região. Há algum tempo, as obras de recuperação e ampliação da ponte JK vem causando enormes transtornos a quem necessita se deslocar por ali.  Para piorar a situação, as obras foram paralisadas e os engarrafamentos se tornaram frequentes, causados pela liberação de apenas meia pista e pelo fluxo intenso de veículos, aumentado com as festas de fim de ano. 

No Diário do Nordeste de hoje (4/1), uma matéria sobre o problema mostra os transtornos que os engarrafamentos causam a quem retorna as suas cidades e a quem circulam diariamente pelo local. A situação da ponte JK vem ganhando destaque na mídia e os responsáveis pela obra ainda não apresentaram uma solução para o "entrave", literalmente. Veja a matéria do DN a seguir:

Foto: Diário do Nordeste/Fabio Lima
Diário do Nordeste (4/1/2011)
Engarramento causa transtornos

A paralisação das obras da Ponte sobre o Rio Jaguaribe, em Aracati, causa problemas para os motoristas

Aracati. Um sufoco já anunciado se tornou caótico nas últimas semanas de 2010, logo em um dos destinos turísticos mais procurados do Nordeste. Quilômetros de engarrafamento e até uma hora e meia para atravessar uma ponte foi o transtorno enfrentado por centenas de motoristas em Aracati. A obra de duplicação da Ponte Juscelino Kubitschek, paralisada desde as investigações da Polícia Federal sobre desvio de dinheiro, é o motivo de só funcionar uma faixa na antiga ponte para todos os carros que trafegam nos dois sentidos da via.

Entre sábado e domingo, foi complicado o retorno para Fortaleza e sertão, de quem decidiu passar o Revéillon nas praias de Canoa Quebrada, Majorlândia e Quixaba, em Aracati. E de quem veio do Rio Grande do Norte para o Ceará ou vice-versa. Para muitos caminhos foi preciso atravessar a Ponte Juscelino Kubitschek, trecho da BR-304 sobre o Rio Jaguaribe, em Aracati. O motorista Jacy Santos passou uma hora e 40 minutos para atravessar a Ponte e seguir para Fortaleza depois do fim de semana em Canoa Quebrada. "É um absurdo, um desrespeito dos órgãos públicos até no primeiro dia do ano", esbravejou, enquanto aguardava com a família no engarrafamento que se estendia desde o Centro da cidade.

Do outro lado, quem precisava retornar para Aracati, Icapuí, ou mesmo Mossoró e Natal, no Rio Grande do Norte, padecia do mesmo problema. Mesmo com veículos extras para atender a demanda, as empresas de ônibus registraram atrasos de até quase três horas. Um ônibus da empresa São Benedito, que às 17h45 levaria passageiros de Canoa Quebrada para Fortaleza, só chegou para iniciar viagem às 20h30 de domingo. Alguns passageiros pediram para ter a viagem transferida para o dia seguinte pela manhã.

A reportagem entrou em contato com a sede do Dnit no Ceará e foi avisada que o novo superintendente, Abner Oliveira, não poderia atender, mas que qualquer informação seria repassada pela assessoria de Comunicação na sede do órgão, em Brasília. De lá, a assessoria comprometeu-se a dar um retorno, o que não ocorreu até o fechamento desta edição.

MAIS INFORMAÇÕES
Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (Dnit)
Regional no Estado do Ceará
Telefone: (85) 3295.7377

Melquíades Júnior
Colaborador

Nenhum comentário: