segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Artigo: ANÁLISE DE CONJUNTURA POLÍTICA DE ICAPUÍ

Foto: Rudrigo Maia/ PGNews
 
As eleições municipais acontecerão no próximo ano – 2012, porém em Icapuí já se observa uma efervescência política em torno de nomes para prefeito. Nesse trabalho analisarei dois pontos: os partidos políticos de Icapuí e nomes que pleiteiam o executivo municipal.

O PT em termos de filiados é o maior partido do município, já esteve no poder durante vinte anos com Zé Airton e Dedé Teixeira. O que se observa que durante todo esse tempo o PT de Icapuí não se consolidou como partido político, não tem o partido uma vida orgânica, se movimenta no front em tempo de eleição. O atual presidente que chegou para sacudir o partido não passou de um alarme falso, nota-se um partido refém dos caciques que detém mandatos, que aponta nomes e faz de tudo para que esse nome seja referendado pelos militantes e direção municipal. Até o exato momento o PT local não tem um nome novo de envergadura que enfrente a situação de igual para igual. O grande pecado político do PT foi não ter criado lideranças políticas quando esteve no poder, ficou na dobradinha Airton-Dedé, hoje paga um preço caro por essa atitude irresponsável.

O PSB que deveria ser um grande partido no município junto do governador Cid Gomes - PSB, não tem aproveitado essa oportunidade. O partido carece de um presidente de visão, ético e que tenha trâmite junto ao governador e outros partidos locais. Nas últimas eleições definhou, perdemos o único vereador que tínhamos. Até hoje o PSB de Icapuí é refém do PT, entra no jogo para perder. Precisa urgentemente de uma liderança que moralize o partido e de nomes que fortaleça o partido, otimizando seus quadros e possibilidade de um nome que venha competir para o executivo, basta de ser apêndice do PT.

O PC do B há tantos anos no município carece de quadros novos e militantes. Hoje o PC do B se resume a duas pessoas. Nas últimas eleições fez um vereador, porém necessita que o vereador fortaleça o partido, já que tem pretensões de vôos mais altos. Falta ao partido vida orgânica para buscar novas lideranças, não cair no erro do PT que só ficou na dobradinha.

O PSDB tem sofrido derrotas a nível nacional, não fez o senador Tasso Jereissati, nem o Serra emplacou para presidente. Busca sobreviver no Estado já que rompeu com os Gomes, político sem mandato fica no esquecimento. Em Icapuí a administração é do PSDB, o atual prefeito tem perdido a oportunidade, não tem assumido seu compromisso firmado com seu povo. A sua ausência do poder deixa a cidade no apagão. O PSDB local também não tem vida orgânica, se organiza em tempo de eleição. Estão perdendo essa oportunidade de organizar o partido no município, é mais fácil organizar o partido com o poder nas mãos.

O PRB é representado pela família de Demétrio, no caso Érica (vereadora) e Heveton (vice prefeito). Partido este sem expressão na cidade, tem existência porque para ser candidato a lei eleitoral exige que seja filiado a um partido político.

O Psol perdeu o bonde da história por falta de coragem, faltou ousadia. O líder maior se acomodou no seu trabalho paroquial e na sua profissão, no caso o banco. É um partido sem luz própria, tem definhado no cenário nacional e no município de Icapuí; não possui nomes nem para vereador, é triste, mas é a situação do Psol que teima na sua radicalidade dentro de um sistema capitalista; não concordo que o partido se prostitua diante do poder, porém ressuscitar antigos dogmas marxistas não tem mais vaga diante dos fatos políticos atuais.

Na questão nomes o PT tem ventilado nomes na cidade, Felipe (vereador), Neto, Marcos, Jerônimo (vereador) e os saudosistas falam o nome de Dedé Teixeira. Felipe no meu ponto de vista é um nome muito prematuro no seu desejo de ser prefeito, precisa amadurecer politicamente e se credenciar como vereador. Dedé é passado, creio que almeje vôos mais altos. Marcos não tem na cidade uma vivência política, poucos o conhecem. Jerônimo se fizesse um mandato de qualidade(popular) seria outro nome, porém não é alinhado as tendências do partido, por isso não tem peso político para pleitear uma candidatura para prefeito. Quanto a Neto é um nome a ser discutido pela militância do partido para não acontecer o que já aconteceu em eleições passadas. Neto tem um grande desafio se for o nome escolhido do PT para prefeito, é trazer José Airton e Dedé Teixeira para o seu lado, se conseguir essa façanha tem now how para ganhar as eleições. Além disso tem que trabalhar como político e ser mais povo.

Lacerdinha é o melhor nome da situação, é vereador, tem feito um mandato razoável, é líder do governo. Por ventura se o mandato do Irmão Edílson tivesse bom, seria eleito sem dificuldades. Pesa a Lacerda a família e a administração do tio, e também a família dividida com outro nome, no caso Heverton. Até o próximo ano serão muitos embates, a família gosta do poder, creio que não sairão dois nomes na mesma família, seria suicídio político.

O PC do B também tenta se firmar com o nome de Marcos Nunes para prefeito, um vôo desses requer que o vereador faça um mandato diferenciado e caia nas graças do povo. No pegar pra capar o PC do B apóia o PT e se conforma com a reeleição de Marcos Nunes para vereador.

Heverton também almeja ser o nome do irmão Edílson, como também Lacerdinha, creio que ainda não é a vez do Heverton para prefeito, precisa também amadurecer politicamente, não se faz política apenas com vaidades pessoais e dinheiro. As eleições têm provado em Icapuí que dinheiro não é tudo, porém carisma.

Os nomes de Gilson da Paz e Cadá (vereador) são bons nomes para compor uma chapa com eles na vice. Os dois contemplam duas regiões que tem peso eleitoral forte, no caso Ibicuitaba e Redonda. Qualquer candidato hoje a prefeito não pode por hipótese alguma desprezar esses nomes, e o bom é ganhar os dois.

Finalmente diria que essa visão política é pessoal, muitas águas rolarão debaixo dessa canoa “veloz”, os comentários creio que vão enriquecer o texto e até provocar uma discussão sucessória para a próxima gestão. 

Fonte: Blog do Professor Wellington Pinto
Atualizado às 08:00h 

11 comentários:

Adolfo Maia disse...

Parabéns Wellington,

Uma analise concisa das possibilidades políticas nas eleições de 2012 e bem realista deste debate que neste ano ainda acalorará muito no municipio, tendo em vista que possibilidades eleitorais para candidatos a prefeitos e vereadores tem que ser definidos até o outubro, prazo maximo de filiaçoes de pretensos candidatos.

Creio que falta ainda neste debate que você levanta os nomes do vereadore Jeronimo Felipe e de Marcos Rebouças pelo PT.

Tem também a possibilidade do PSOL, caso consiga se organizar como partido, lancar candidato a prefeito em Icapuí.

Abraços

Adolfo Maia

Wallyson Honorato disse...

Muito boa essa sua sacada, Vejo algumas coisas diferente, mas na maioria nossa visão chega a ser igual.
Peço desculpas a Adolfo, mas PSOL com cadidatura majoritaria? acho que deve vim mais d vagar viu? (meu ponto de vista)
Mas como disso o Pinto: "essa visão política é pessoal, muitas águas rolarão debaixo dessa canoa “veloz”, os comentários creio que vão enriquecer o texto e até provocar uma discussão sucessória para a próxima gestão."

ABRAÇO!

Adolfo Maia disse...

Wallyson,

Na minha opinião se o PSOL tomar corpo como partido e se organizar pode sim entrar na disputa pela Prefeitura de Icapuí, o que teria a perder?

Creio que os parcos filiados dele em Icapuí tem mostram independência dentro desse bipartidarismo imposto e alimentado na cidade de Icapuí.

Seria mais uma opção a construção de uma proposta democratica e libertadora para a cidade, na busca de atingir a educação, a saude, o meio ambiente, o desenvolvimento economico, esporte lazer ideal para essa cidade que sofre por falta de visão de futuro, de missão, de objetivos e de projetos próprios de seus governantes!

abraços

Adolfo

thiagojstavares disse...

"Jerônimo se fizesse um mandato de qualidade(popular) seria outro nome, porém não é alinhado as tendências do partido, por isso não tem peso político para pleitear uma candidatura para prefeito." Nesse trecho Wellington vc diz que o mandato do Vereador Jeronimo Reis não é de qualidade. Seria de qualidade o mandato do Vereador Lacerda? "Lacerdinha é o melhor nome da situação, é vereador, tem feito um mandato razoável, é líder do governo." Um mandato razoavel? O Vereador Lacerda está entre os vereadores mais ausentes dessa legislatura, as poucas ações são sempre a sombra da, falha, irresponsável e omissa administração. Qual o criterio que vc usou para classificar o mandato do Vereador Jeronimo Reis como sendo um mandato sem qualidade?
Minha visão assim como a sua é bem pessoal.
Vc está de parabéns pelo artigo. Muito bem feito, porém seu criterio de avaliação (se é que usou ou tem um) foi mais do que falho.

Ah, e por sinal o Sr nunca ganhou nenhuma disputa a cargos eletivos aos quais concorreu, inclusive a vereador.

Prof. Mauro disse...

O texto é muito interessante, porém cabe salientar que algumas poderações podem ser questionadas, principalmente pelo fato estarem distonantes do raciocício que vinha sendo desenvolvido no início do mesmo. No tocante aos nomes, podemos perceber que cada qual possui seus prós e contras. Mas aqui gostaria de saber porque o autor aponta o mandato do Vereador Jerônimo como não popular? Creio que o nobre vereador tem feito muito pela cidade e pelas comunidades que o elegeu, mais é necessário dizer que diante da conujntura politica e dos problemas administrativos vivenciados em nossa cidade fica dificil ter um mandato, pois muitas vezes tem que se deixar de lado o madato para sanar problemas que deveriam ser ações realizadas pelo Poder Executivo. Para conluir gostaria de salientar que muito acontecerá até a sucessão. O que não se pode é cair no mesmo erro de pôr alguem distonante de tudo o que se sonha e pensa para o futuro desse muncípio.

Ursula Maia Icapuí disse...

Sr. Prof. Pinto Pela primeira vez na vida concordo com muitas de sua s posições principalmente quando o Sr. cita "Lacerdinha é o melhor nome da situação, é vereador, tem feito um mandato razoável, é líder do governo."
Bem como se formos levar em consideração que "Marcos não tem na cidade uma vivência política, poucos o conhecem." ok
Mas o Sr. Neto tambem a muitooooo não reside em nosso municipio.
E acredito que os Srs. vereadores Marcos Nunes e Geronimo fazem o que é posivel dentro de suas possibilidades.
Felipe é um bom nome para o PT mas não conta com o apoio total do partido.
Então como não tenho cacife pra julgar politica muito menos pessoas acredito que todos tem seu valor e merecem estar onte estão.
Mas torço muitooooooo em Lacerda pra ser nosso proximo gestor.

Wallyson Honorato disse...

Blz Adolfo, claro que pode sim disputar, mas acho que deve vim devagar sim. Voce fala que: "Creio que os parcos filiados dele em Icapuí tem mostram independência dentro desse bipartidarismo imposto e alimentado na cidade de Icapuí." Bem, eu pergunto: Como? apoiando ou sendo oposição? (veja bem, é uma pergunta viu?)Ser independente de algo, mas só no campo do discordo disso ou daquilo, eu sou muito contra isso.o PSOL a nivel nacional tem se mostrado coerente com o que fala e divulga (ser uma nova via)mas eu creio que o municipal ( que eu pansava não mais existir) não tem a mesma postura. A questão não é se aliar ao menos ruim, mas ser a outra altrnativa. é isso que voce quer me dizer que o PSOL de Icapuí quer ser?
Abração AMIGO.

Professor Celestino disse...

Sugiro ao autor do artigo acima que leia o Artigo abaixo e visite o blog: vereadormarcosnunes.blogspot.com

Artigo: Existe mais que dois partidos!
Escrito por CELESTINO CAVALCANTE
Presidente do PC do B Icapuí


De 1966 a 1979 a legislação partidária no Brasil permitiu a existência de apenas dois partidos: Arena e MDB. A Arena congregava as forças que apoiavam o regime militar, reunindo políticos que antes estavam na UDN e PSD, enquanto o MDB era o partido de oposição ao governo, com representantes da esquerda, do antigo PTB e da ala mais progressista do PSD.

Durante o regime militar, integrantes de partidos proibidos por lei, como o Partido Comunista Brasileiro (PCB) e o Partido Comunista do Brasil (PCdoB), entre outros, também utilizaram o MDB como forma de protesto institucional contra o regime. Por conta do caráter bipartidarista do regime, tanto o MDB como a Arena congregavam políticos com diferentes origens e projetos.

No Icapuí contemporâneo enveredamos para um cenário muito parecido, com uma grande diferença vivemos num pais pluripartidário, o semelhante nas duas situações é que na existência ou na defesa de apenas dois partidos dar as eleições um caráter plebiscitário, pois votar em um ou outro partido significa aprovar ou não o governo. Esse bipartidarismos que se tenta impor em Icapuí na verdade só interessa aqueles que querem se perpetuar no poder, basta ver que esta disputa bipolar tem muito do fisiologismo, do clientelismo, do corporativismo, do coronelismo coisas das oligarquias de sempre, com PMDB e DEM à frente.



É sabido que em Icapuí como no resto do Brasil, petistas e tucanos defendem idéias muito próximas, mas não se bicam porque disputam o mesmo espaço e têm seus próprios projetos de poder, em Icapuí até já tiveram juntos. Na atual conjuntura existe uma porção de “petistas“ muito bem acomodados nas asas do tucanato, coniventes com a atual situação vivida pelo nosso querido município em função de benesses para si ou para seus familiares. Para os Icapuiense elevar esse tipo de pensamento do bipartido (PT x PSDB) é apequenar os ideais do povo da nossa grandiosa cidade, relevando a menor aquele que não pensam nem como PT nem como PSDB, mas como filhos de uma cidade que se estagnou no tempo, e que precisa se reciclar no projeto e nos atores políticos no processo de construção de uma gestão voltada para cidadania de seu povo.

É salutar fazer a discussão da Icapuí do passado, Icapuí do presente, ea Icapuí do futuro sem estar apenas com os óculos do PT ou do PSDB, primeiro porque não existe somente esses dois partidos políticos em Icapuí, segundo porque os munícipes desta cidade podem e devem tecer criticar e/ou comentários sem estar vinculado a partido algum, já que muitos dos cidadãos icapuiense não tem filiação partidária, de forma que essa visão de querer discutir o município apenas na visão de dois partidos é um retrato claro de falta de maturidade politica e de abstinência clara de manter status-co.

BOMBEIRO CARLOS FONSECA disse...

Quando todos os "PARTIDOS" estiverem voltados oa bem-estar de todas as pessoas, tudo será diferente para melhor.
O meu PARTIDO é o partido do POVO:
PODER PARA O POVO, IGUALDADE, FRATERNIDADE..........
Ao Presidente: Aquele abraço do CARLOS FONSECA
Ps: Devo procurá-lo em breve para pedir a minha filiação ao PARTIDO.
(88) 8812-5217
mergulhofonseca@hotmail.com

procad disse...

(J. Marcelo)Quem escreveu o texto? foi de fato Wellington Pinto? Pois no seu blog, este texto foi postado por ele, quanto à autoria do mesmo, por enquanto eu desconheço.

"A administração é do PSDB, o atual prefeito tem perdido a oportunidade, não tem assumido seu compromisso firmado com seu povo" e eu faço uma pequena complementação - ele nunca teve compromisso sério com a população de Icapuí, e que o povo, não caia no mesmo erro pela terceira vez.

COMO? “Lacerdinha é o melhor nome da situação, é vereador, tem feito um mandato razoável, é líder do governo” – EU ACREDITO QUE ESTE CIDADÃO (O EDITOR) ESTÁ SEM NOÇÃO DA REALIDADE. Analise novamente os status que este GOVERNO chegou e reavalie novamente suas considerações.

“Se o mandato do Irmão Edílson tivesse bom, seria eleito sem dificuldades” (SE TIVESSE!), Mas Isso não existe meu camarada.

Eu acredito que existem pessoas bem melhores para conduzir a administração de nossa cidade, o segredo para dar certo é não “trocar seis por meia dúzia”.

Ursula Maia Icapuí disse...

Pena de vcs !! recalque total!!!
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk