quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Diretoria da Câmara de Vereadores responde ao artigo "São nove. Noves fora, zero".

Plenário da Câmara de Vereadores
O blog A Cidade Icapuí recebeu, via e-mail, uma resposta da Diretoria da Câmara de Vereadores de Icapuí sobre o artigo "São nove. Noves fora, zero" de autoria de José Marcelo, em que o mesmo tece críticas aos edis da cidade.

Antecipamente o blog responde que a vinculação do artigo em nosso espaço se deve pela liberdade de expressão, estabelecido no artigo 5º, inciso V da Constituição Federal, que diz que é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato. Nesse sentido o autor do texto é plenamente identificado e o direito de expor seu ponto de vista sobre os vereadores, que são pessoas públicas. Por outro lado, é direito também do contraditório e o blog sempre esteve e sempre estará aberto a fazê-lo.

Leia abaixo a carta enviada pela Diretoria da Câmara:
Li o artigo: "São nove. Noves fora, zero". E o fiz com muita tristeza.

Mais do que qualquer outra pessoa, sei a importância da liberdade de imprensa e quão esta é necessária para o exercício da cidadania.

Porém, não se pode colocar em cheque o nome de uma instituição séria e comprometida com a população icapuiense, que é a Câmara Municipal de Icapuí, a casa do povo.

Apesar da equipe do blog não ter assinado a matéria, deixo expressa a minha indignação para com a sua veiculação, eis os motivos:

1º - O artigo deixou claro o descontentamento do autor para com alguns edis da nossa cidade. Mas o referido autor poderia ter feito tal crítica diretamente àqueles a quem se referiu;

2º - Alguns questionamentos feitos são graves, e denotam desinformação por parte do autor, vejamos:

"(...) por que os vereadores, aqueles que deveriam fiscalizar e defender a população, cujo cargo que eles ocupam o povo lhes confiou, não o fazem?" Linhas 5-7

Os vereadores fazem sim, e muito. Aliás, os mesmos não têm medido esforços para fazerem bem mais do que o seu papel. Senão, não seriam os vereadores que estariam conseguindo emendas parlamentares para o benefício da população, muitas das quais voltam por incompetência de terceiros; Foram os vereadores que instituíram a primeira CPI para investigar possíveis desvios de verbas públicas do ICAPREV, conforme parecer nº 11.034/2009, do Egrégio Tribunal de Contas dos Municípios do Estado do Ceará, o qual o relatório final, produzido pelos vereadores, já foi encaminhado ao Ministério Público Municipal para que sejam tomadas as providências cabíveis; Sem esquecer que, os vereadores citados no artigo como "coniventes" ou "incompetentes", estão fazendo o seu trabalho de sugerir ao Poder Executivo Municipal a realização de fatores elementares para que  a cidade de Icapuí cresça e seja tratada com mais respeito. Mas parece que, com todo respeito, o autor do artigo não está sabendo disso. Prefiro acreditar nessa possibilidade do que acreditar numa possível  tentativa de denegrir a imagem do Poder Legislativo Municipal, escolhido democraticamente pelo próprio povo.

" (...) a linhagem de vereadores que temos não é uma das melhores safras que já tivemos.(...) O pouco que consigo entender é que por traz das sextas de plenárias, o que existe é um maldito jogo político, onde sempre quem perde é o povo de Icapuí." linhas 23-28

Não considero salutar ficarmos comparando um mandato parlamentar com a safra do que quer que seja. Até porque em nada são iguais. Quanto ao jogo político ao qual o autor se refere, digo que ele pode até existir, inclusive pode ser que aconteça nem só nas sextas-feiras. Mas a política é muito mutável, não fica estagnada, faz parte do processo. Agora, chamar esse processo natural da política de maldito é, no mínimo, irresponsável. A não ser que o autor tenha a pretensão de candidatar-se a um pleito de vereador e, se eleito, desejasse ficar parado no tempo.

"É incrível e lamentável termos pessoas tão jovens na câmara e tão carentes de posição, de idealismo, de postura, de compromisso, de sensibilidade e sabedoria, enfim de caráter" . Linhas 29-31

Aqui, ao meu ver, se evidencia o preconceito com quem é jovem, como se quem assim fosse, estivesse desprovido de ideias boas, o que, de fato, não é o caso. Talvez haja divergências de ideias, mas carências de carater, desconheço. Veja, se Caráter  é um termo usado em psicologia como sinônimo de personalidade, dizer que alguém é desprovido de caráter, é o mesmo que dizer que este não possui personalidade. Isso é óbvio, e um pouco paradoxal. Todos possuem caráter, mas alguns o desenvolvem para o bem ou para o mal. Ainda que o autor esteja certo quanto ao que entendi por "mal caráter" de alguns vereadores, a culpa seria, em último caso, da população que os elegeu. E, portanto, do próprio autor. E inteligência, meu caro, não é um privilégio, e sim um dom. E mais: deve ser usada em benefício da sociedade. Sem falar que, promover julgamentos prematuros e inconsistentes é um tanto desonesto.

3º - Já que o autor diz claramente que precisamos de pessoas comprometidas com a sociedade Icapuiense, pessoas de bem que devemos preservar desta perversa patologia chamada “corrupção”, poderia candidatar-se ao cargo de vereador, pois o ano eleitoral já se aproxima, e essa é uma boa oportunidade de mudança de realidade, não acha?


Enfim, não dá pra ficar falando besteira, coisas graves, na tentativa de desqualificar uma instituição séria como  a Câmara Municipal de Icapuí. E, apesar da admiração pessoal que tenho para com a equipe deste blog, não me furto em dizer que liberdade de imprensa requer responsabilidade. Todos têm o direito de dizer, mas de fazê-lo do modo correto, responsável.

Obviamente, o blog não pode boicotar a opinião pública, mas também não pode deixar explícito em sua página tantas ofensas, derrubadas por qualquer argumento verídico que aqui apresentamos.

Nove é nove. Zero é zero. E para finalizar, quero só responder à primeira pergunta feita no primeiro parágrafo do artigo:

Afinal, quem são os vereadores de Icapuí?
Fácil: São aqueles a quem a população confiou um mandato para os representar, dentro da legalidade. E portanto, merecem o devido respeito.

3 comentários:

Ursula Maia Icapuí disse...

Assim que se deve postar a respeito de uns e outros que querem apenas aparecer!!
Felicito a Diretoria da Câmara pela otima defesa de TODOS e TODA instituição!!
Arrazou total!!
LEGAL LEGAL ...

ClaudiMar Silva disse...

Uma breve defesa do Blog.

No preâmbulo do artigo, Adolfo esclarece que a liberdade de expressão de qualquer cidadão é assegurada pela Constituição Federal do Brasil, vedado o anonimato. Considerando que o emissor das opiniões e ideias expostas é facilmente identificável, acredito que a publicação do referido artigo é legítima.

Porém, devemos nos questionar sobre os motivos que levaram o JOsé Marcelo a tecer tais comentários recheados de indignação e insatisfação com o legislativo municipal. Se é essa a visão que ele tem da Casa do Povo, e em defesa da Câmara a diretoria contrapõe com argumentos sólidos e documentados, é de se pensar que existe uma falha de comunicação entre o que é dito e feito pelos legisladores e o que é ouvido e visto pelo povo.

Há uma discussão em andamento no Twitter, entre alguns twitteiros locais (Eu e Adolfo estamos no meio, claro!) e representantes do legislativo. Uma das questões abordadas é justamente a aproximação necessária entre povo e vereadores. Para muitos, a atividade legislativa é algo incompreensível e muitos populares avaliam as sessões meramente como um "falatório infindável" que não soluciona nada. Isso é o povo que diz!

Sugerimos aos vereadores que participam desse mini-debate, realizar seminários para explicar ao povo o que realmente um vereador faz. Quais suas obrigações como legislador e até que ponto ele pode e deve se envolver no poder executivo. Essas questões ainda são incógnitas para muitos.

A resposta da Diretoria da Câmara elucidou muitos pontos criticados pelo José Marcelo, mas até então isso era de seu total desconhecimento. Em sua opinião, os legisladores estão aquém do que deveriam fazer. Mas, como avaliar isso se não se sabe o que de fato um legislador faz? Se ele não tem esse conhecimento e mesmo assim desejou expor sua opinião, que não vir nada de ofensivo, cabe a nós acatar, mesmo que não concordemos.

A liberdade de expressão deve ser assegurada a todos, como a todos deve ser assegurado o direito de resposta!

Isso foi o feito. Abço!

Jose Jadson disse...

Claudimar, você sim, “arrazou”! Seus argumentos foram serenos, verdadeiros e imparciais. Acho que a opinião de Jose Marcelo reflete nada mais nada menos que a da maioria de muitos icapuienses, onde muitos deles não tem oportunidade ou não conhecem meios de expressa-las. Mas já que doeu tanto.... é porque a ferida é bem grande.