terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Novas regras para os pescadores


Como membro da Frente Parlamentar da Pesca e relator do Ministério, o deputado federal José Airton acha importante a regularização da profissão dos pescadores, mas discorda do excesso de exigência para a sua concessão.

Ele acredita que existe certo exagero com as novas regras para a obtenção do seguro desemprego, pois parte das medidas anunciadas nesse último dia 25 pelo Governo Federal criam mais dificuldades para a vida de quem, como pescador, sem enfrentou dificuldades.

“Essas medidas burocratizantes vão de encontro às formas simplificadas da previdência social, que reduziu os documentos em excesso”, justifica José Airton que ainda alerta para o problema das licenças de pesca, que foram negadas a muitos pescadores. “Acho que o Ministério da Pesca deveria facilitar a vida dos pescadores e não dificultar como foi anunciado”.

As medidas foram anunciadas pela ministra da Pesca e Aquiicultura, Ideli Salvatti, e englobam, entre outras mudanças, o cadastramento de pescadores artesanais no Registro Geral da Pesca (RGP) e a concessão de carteira de pescador profissional.

Dentre as novas medidas anunciadas destaca-se a renovação da carteira de pescador, que passa a ser necessária a cada dois anos e não a cada três como definido anteriormente. Além disso, a nota de venda do pescado para Pessoa Jurídica (PJ) passa a ser pré-requisito para essa renovação, bem como a contribuição previdenciária para vendas exclusivamente no varejo e a declaração de que o pescador não possui vínculo empregatício em outra atividade.

Outra mudança é que, a partir de agora, o pescador que tiver seu registro cancelado só poderá obter novo documento após 12 meses de sua suspensão, sendo que até o dia 31 de dezembro de 2011 estão suspensas todas as novas inscrições para adequação dos processos às novas regras.

Nenhum comentário: