sexta-feira, 8 de abril de 2011

Artigo: Uma análise da árvore da genealogia política de Icapuí.

Por Celestino Cavalcante
Retirado do blog do vereador Marcos Nunes

O poder político em Icapuí sempre esteve de forma direta ou indiretamente nas mãos de uma única família pode até mudar um nome aqui e outro ali. Mas no executivo ou no legislativo em linhas gerais os sobrenomes são sempre os mesmos. Essa tem sido a prática na política de Icapuí nas últimas duas décadas e meia.

A oligarquia do município que misturou e ainda mistura o PT e a família Cirilo tem se perpetuado passando apenas um “verniz” ao velho modelo de fazer política. É bem verdade que o município passou nas primeiras administrações por um processo de modernização e avanços nas políticas públicas com mais especificidade na saúde e na educação. Mesmo assim, de uma forma ou de outra a renovação no quesito mandatos eletivos é feita por familiares, o que faz com que famílias se mantenham no poder.

Em tão pouco tempo de emancipação politica o município de um pouco mais de 18 mil habitantes já experimenta as práticas coronelista de constituição de oligarquias mesmo que de forma mais moderna, aqui em Icapuí como na maioria dos municípios brasileiros a politica ainda é feita com base no DNA, nos 27 anos de emancipação o poder tem sempre a marca dos mesmos nomes ou sobrenomes oligárquicos seja no executivo, no legislativo ou em ambos.

Na verdade o que se tem visto é um revezamento no poder, tantos dos políticos quanto dos partidos PT e/ou PSDB, nesse jogo pessoas saem e entram em ambos os partidos, mas nunca saem da cena. Não é por acaso, que praticamente não existe renovação de quadros ou forças alternativas nesses 27 anos. As caras ‘novas’ têm sempre um DNA bem conhecido.

Em Icapuí onde a política nos últimos anos tem sido uma atividade baseada na força econômica de seus líderes, também tende a ser uma espécie de “profissão” para os atuais representantes das pujantes oligarquias. O atual governo é alvo de dezenas de processos na Justiça movidos pelo Ministério Público e/ou pelo Sindicato dos servidores além de outra dezena de denuncias sendo até alvo de CPI, mas mesmo assim nenhum processo foi julgado contra o atual gestor e ninguém sabe explicar os motivos.

A presença forte das famílias tradicionais, aliada ao aspecto do poder econômico, evidentemente dificulta, e muito, o processo de renovação, de pluralismo no campo da representação política. Não é possível analisar do ponto de vista do desempenho pessoal de cada um. Mas evidente que o aspecto negativo é que, num contexto desses, fica difícil você ter novos quadros e uma representação de caráter mais plural.

Para se discutir a perpetuação de dinastias na política como as que tentam se instalar em nossa canoa, tem de se discutir a reforma política, para que se possa ter uma renovação política em Icapuí, no Ceara e no país. Entretanto, diante da atual forma de se fazer campanha e das normas eleitorais existentes, dificilmente haverá uma renovação. Atualmente, cinco integrantes do clã da atual administração exercem mandato eletivo:

Jose Edilson da Silva (PSDB) - Prefeito do Município de Icapuí
Jose Airton Cirilo (PT-CE) - Deputado Federal Irmão do prefeito
Heverton Silva (PRB) - Vice- Prefeito. É sobrinho do prefeito e do deputado federal
Lacerda Filho (PSDB) - Vereador líder do governo. É sobrinho do prefeito, do deputado federal e primo do vice-prefeito e da vereadora.
Erika Costa (PRB) - Vereadora. É sobrinha do prefeito, do deputado federal, irmã do vice-prefeito e prima do líder do governo.
Francisco Cirilo - Secretário de obra. É irmão do prefeito do deputado federal tio do vice-prefeito do líder do governo e da vereadora.
Fátima Lacerda - Secretaria de turismo. É irmã do prefeito do deputado federal, mãe do líder do governo e tia do vice-prefeito e da vereadora.
Francisca Alves - Secretaria de Saúde. É cunhada do prefeito do deputado da secretaria de turismo do secretario de obra e mãe do vice-prefeito e da vereadora.

8 comentários:

Professor Wellington Pinto disse...

No próximo pleito o PC do B estará de novo junto do PT, apoiando o candidato Dedé Teixeira outra vez. Essa briga do PT é tudo armação de Dedé Teixeira, deixa os pré candidatos brigarem e no momento certo do bote bate na mesa que o candidato é ele e tudo bem. Essa missa já rezei quando a disputa era entre Neto e o padre Lopes, Dedé deu uma de democrático e por debaixo dos panos pedia para os filiados votarem em Neto.Talvez com o padre Lopes o resultado tivesse sido diferente, eu disse talvez...Celestino 2+2=4, essa é minha certeza do apoio do PC do B ao PT, quem for vivo verá.

Professor Celestino disse...

Caro comentarista politico advinhão. Minha mãe me ensinou que eu devia: "Manter-se afastado das pessoas que tentam se locompletar pela ambição. Notadamente isso ocorre com pessoas pequenas que sempre fazem isso, mas as pessoas realmente grandes fazem você sentir que você, também, pode se tornar grande." por isso lembre-se ter problemas na vida é inevitável, ser derrotado por eles é opcional. Até a vitoria!!!

Professor Celestino disse...

Na politica nem sempre 2+2 é 4

Professor Wellington Pinto disse...

O camarada do PC do B é tão eficiente, por que não construiu na sua terra natal Grossos um mandato popular? Veio para Icapuí recebido na escola mizinha pelas mãos do Pinto naquela motinha barulhenta...

Prof. Mauro disse...

Acho tão legal isso entre o Pinto e Celestino. Vamos lá meu povo não é hora de brigar, mais sim de estarmos todos unidos para que possamos lutar por uma Icapuí melhor no futuro. Quanto a eterna disputa de ambos, deveria acabar, afinal são colegas de profissão e de estabelecimento de trabalho. Até mais.

Professor Wellington Pinto disse...

Mauro não existe briga, apenas divergência de opinião.

tiago felix disse...

Por que não se discute a renovação do sindicato dos servidores públicos municipal, que a anos vem se mantendo no poder um mesmo grupo.

Ursula Maia Icapuí disse...

Aqueles que alimentam ódio e aversão são induzidos por sentimentos pequenos assim não tem compromisso nem laços familiares e por isso sentem uma enorme dificuldade em compreender o que isso significa.
É no círculo familiar que iremos nos aperfeiçoando em termos de relacionamento com o próximo e assim encontraremos pilares para alcançar objetivos maiores pois quando nos encontramos sós perdermos a noção de fraternidade.

Como também através dos atritos familiares vamos aprendendo e praticando os princípios que devem ser utilizados perante todos os seres deste planeta, a começar pela tolerância e paciência com o próximo.

Abraços!!!