quarta-feira, 13 de abril de 2011

Icapuí, mito ou realidade?

Escrito por Wellington Pinto
Professor

Nesses vinte anos que o PT ficou no poder em Icapuí avançou em alguns setores que não podemos negar, e pecou muito em setores estratégicos para a continuidade do projeto político que muitos diziam que Icapuí possuía, hoje tenho minha dúvida nesse tal projeto que no meu olhar foi mais pessoal que coletivo.

Na educação Icapuí conseguiu uma grande façanha dentro daquela conjuntura passada, foi colocar toda criança na escola, presenciei os fatos como professor e diretor escolar, porém não garantiu que crianças tivessem qualidade na aprendizagem, diria que foi um esforço quantitativo e aproveitou a mídia para divulgar essa iniciativa e a coisa pegou, pois garantiu a Icapuí o prêmio do UNICEF, a pomba da paz que hoje repousa na praça da liberdade.

Na saúde tivemos muitos programas interessantes em Icapuí, como também bons Secretários de Saúde, no caso do médico Luiz Odorico Monteiro, atualmente secretário de Gestão Estratégica e Participativa da Saúde referência a nível nacional. A Dilma Lucena de Oliveira, mestra em Saúde Pública, ótima Secretária, pediatra de mão cheia que pôs em prática vários projetos voltados para a saúde da família. Não recordo um cidadão se dirigir ao hospital e voltar por falta de médicos ou por falta de remédios, e havia médicos em várias especialidades.

As contas da prefeitura eram colocadas na parede para que o cidadão espiasse e desse seu parecer. A PMI fez marketing dessa ação política que rendeu muitos elogios Brasil afora. Até hoje quando um visitante chega a Icapuí faz referência a essa atitude dos governantes de Icapuí. O Orçamento Participativo teve um começo muito bom nessa interação Comunidade – PMI. Havia um rodízio por todas as comunidades para discutir o que fazer do dinheiro público, depois o OP enveredou para o lado eleitoreiro e infelizmente acabou fugindo do seu propósito.

Porém Icapuí pecou feio quando não trabalhou nomes de lideranças, tinham um medo horrível de perderem a hegemonia do poder em Icapuí, então ficou nessa dobradinha Airton-Dedé, Dedé-Airton, essa dobradinha perdurou até o povo de Icapuí se cansar desse jogo político e dos vícios instalado ao longo desses vinte anos. Toda liderança que surgia se cortava as asas, assim falava os puxa-sacos do poder constituído, havia um medo que outra liderança fora do PT( ou dentro) chegasse ao poder. Hoje o dilema do PT é emplacar um nome de peso para competir eleitoralmente com o candidato da situação. Os nomes apresentados no meu entender não são competitivos, a não ser que se gaste muito dinheiro para emplacar o nome. Os candidatos a vereadores do PT eram todos do mesmo naipe agarrados na sigla PT por conivências pessoais. Hoje alguns deles debandaram na primeira oportunidade que o novo gestor (PSDB) ofereceu, o PT perdeu bons nomes de pretensos vereadores por segurar os ditos fiéis ao partido.

Durante muito tempo se discutia na cidade que o povo de Icapuí possuía uma consciência política única no Brasil. As comunidades eram conscientes, qualquer ação política a comunidade parava para discutir e participava ativamente da política. O verniz aos poucos foi saindo e se percebeu que esse povo não era tão consciente como se propagava na mídia. O PT inaugurou o assistencialismo no Município de forma descarada, hoje as pessoas para votarem têm que receber algo em troca. O político se esconde para não ser aperreado pelos pidões que fizeram do “toma lá dá cá” um meio de vida.

Hoje Icapuí se encontra no caos em todos os seguimentos e não vejo os cidadãos icapuienses se manifestarem criticamente, cadê à consciência política tão falada pelos gestores do passado? As aves de arribação se mandaram para Fortaleza ocupando cargos no Município de Fortaleza, Estado ou a nível federal, deixaram para trás a Canoa Veloz naufragando com seus marinheiros que tentam salvar a Canoa a qualquer custo.

2 comentários:

Sérgio Araújo disse...

Olá amigo Wellington,

Legal a sua reflexão, no entanto, discordo em parte, quando você diz que o PT não construiu nomes competitivos. Certamente existem bons nomes, muito mais capacitados do que há 20 anos atrás.
A política hoje mudou muito, no caso do PT, estamos hoje mais preocupado em formar um grupo eclético, que pense o município, que faça uma agenda positiva para o município e desse grupo sairá um nome com sustentabilidade política para governar Icapuí, e nomes capacitados é o que não falta para "comandar" este grupo.
Esta é a nossa visão como presidente do PT, quebrar com o personalismo histórico e promover os interesses coletivos, mesmo que esta forma seja mais incômoda.

Professor Wellington Pinto disse...

No tempo que o PT estava no poder a presidência era disputada de maneira acirrada, eram muitos interesses pessoais.Admiro hoje esses jovens marujos tentando tocar pra frente a barca, espero que o nome escolhido seja referendado por todos.Nas bocas miúdas se diz que o nome já foi escolhido pelos caciques do partido que exercem mandato, espero que o que aconteceu no passado não se repita de novo,basta de personalismo e enganação para os que apostam no PT e depois não são lembrados e muitos menos os compromissos assumidos em campanha com os partidos de apoio.