quinta-feira, 14 de abril de 2011

Jovens de Ibicuitaba lutam para manter recém-criado grupo musical: “Q Loucos”!

Escrito por Manuel de Freitas Filho



O SOM QUE NÃO DEVE PARAR.

Expectativas. Quais? Um mundo de portas e janelas que encontramos fechadas. Sons e vozes silenciadas de jovens que esperam por uma resposta. De quem? Espera, por vezes ansiosa, frustrante, como no caso de jovens da Sede do Distrito de Ibicuitaba que navegam contra a maré da falta de oportunidade e apoio e mesmo assim, insistem, persistem, teimam, relutam, porfiam, repisam, negam... “Q Loucos”! Finalmente obstinam-se e não se entregam, vislumbrando na música uma saída possível ante o universo vazio da ociosidade e desânimo que os envolve.

O problema é que nem todos sacrificam por muito tempo sua sobrevivência em busca de um sonho, por maior que seja o apelo da alma, da perseverança. Sabemos que nossa noção de tempo e espaço é outra, que o mundo já não é mesmo, que nossa rua... já não é a mesma, mas a expectativa não. É igualmente intensa, como toda esperança nascente. Tão intensa como no momento em que Gutenberg trouxe a impressora de tipos móveis. Ah! O artista quer ver sua imaginação criar asas, sons, quer saber se vai sensibilizar seu público, se a redação merece ganhar corpo, cenários, tons. De que forma? Doendo ou não a crítica, precisamos reconhecer.

Nosso município, tão rico em cultura, precisa dar chance a algo mais do que as polêmicas corriqueiras das esquinas e praças, do eventual e passageiro, da violência que já nos aflige, que lesiona profundamente a juventude, que rouba sua vida, minguando publicamente seu sangue. Jamais poderíamos negar a realidade das ruas, das drogas, do tráfico, das “pedras” pelo caminho e de tantas outras agruras sociais, mas também não é fechar os olhos ante a falta de espaço, de palco, mesmo que tenhamos que sair por ai a se expor, batendo de porta em porta pra fazer o show acontecer. Jovens artistas são esses jovens, sem recurso, sem contato, sem alcance, SEM INSTRUMENTOS que os possibilite se expressar. Por favor: uma guitarra, um contrabaixo, um teclado, uma bateria, um repique, dois microfones e apenas alguns cabos para a conexão... com o futuro.

Nenhum comentário: