terça-feira, 12 de abril de 2011

Reforma Política será aprovada este ano, e vigora a partir de 2014

Em torno de 500 lideranças, de 72 municípios cearenses, participaram, na manhã desta segunda-feira (11), do debate "Reforma Política: o Brasil precisa", organizado pelo vice-líder do Partido dos Trabalhadores na Câmara dos Deputados, José Guimarães. O evento teve como palestrante o ex-presidente do partido, Ricardo Berzoini (PT-SP), uma das referências nacionais para discutir o tema.

"Estamos confiantes que a reforma política irá sair ainda este ano. Ainda assim, iremos propor uma mudança que aconteça a partir de 2014: para que nenhum candidato seja pego de surpresa nas próximas eleições", argumentou, em entrevista, José Guimarães. "É melhor realizarmos debates com toda profundidade, e envolvendo toda sociedade, do que nos limitarmos a aprová-la rapidamente", acrescentou citando as discussões no Senado Federal.

Proposta
Entre as propostas petistas, citadas pelo deputado Berzoini, durante a abertura do debate, estão a lista pré-ordenada, o financiamento público da campanha, a figura do plebiscito popular, "em temas de grande comoção nacional"; e uma maior participação feminina na política. "Hoje a diferença entre parlamentares homens e mulheres, no Congresso Nacional, é gritante", citou, sendo fortemente aplaudido pela platéia.

Para ele, o atual sistema político-eleitoral não é de todo ruim, "afinal de contas foi com ele que elegemos a primeira mulher presidenta do Brasil". Ainda assim, o ex-presidente do PT defende o rompimento da interferência econômica na política e o fortalecimento dos partidos. "Vamos deixar de hipocrisia: o empresário que doa dinheiro para campanha espera um tipo de posicionamento na hora da votação", argumenta.

Cenário
Existem pelo menos quatro blocos debatendo o tema na Câmara dos Deputados. Um deles é o formado pelo PT e DEM, juntamente com alguns setores do PV e PSB. Estes defendem a lista pré-ordenada e o financiamento público de campanha. Um outro é formado por parlamentares do PMDB, e trazem como proposta o voto distrital, com o fim das coligações e o eleitor votando no candidato, e não no partido.
Em terceiro, aparece o PSDB, propondo o voto distrital ou distrital misto e o financiamento privado da campanha, ainda que com um teto máximo da participação de empresas. Por último, "aqueles que não querem, de forma alguma, uma mudança no atual sistema político brasileiro", explica o parlamentar paulista.

Presenças

Estiveram presentes, o senador José Pimentel (PT), os deputados estaduais Antônio Carlos (PT), Dedé Teixeira (PT) e Carlomano Marques (PMDB), além do vereador Acrísio Sena (PT) e o vice-presidente estadual do PT, Joaquim Cartaxo. Entre as lideranças populares, marcaram presença a Federação de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais do Ceará (Fetraece) e a ONG Cearah Periferia.

 Os seguintes municípios também enviaram representantes: Acopiara, Acarape, Aquiraz, Aracati, Aracoiaba, Aratuba, Aurora, Barbalha, Barroquinha, Baturité, Beberibe, Bela Cruz, Cariús, Cascavel, Caucaia, Crateús, Cruz, Crato, Chorozinho, Caridade, Dep. Irapuan Pinheiro, Fortaleza, Fortim, Ererê, Grangeiro, Guaiúba, Guaraciaba, Guaramiranga, Hidrolândia, Horizonte, Ibiapina, Ibicuitinga, Icapuí, Icó, Itaitinga, Itapipoca, Itarema, Jaguaretama, Juazeiro do Norte, Jucás, Limoeiro do Norte, Maracanaú, Maranguape, Martinópole, Milhã, Morada Nova, Novo Oriente, Ocara, Pacajus, Palmácia, Paramoti, Pedra Branca, Pentecoste, Pindoretama, Potiretama, Quixeré, Quixadá, Quixeramobim, Redenção, Russas, Saboeiro, Senador Pompeu, Sobral, Tabuleiro do Norte, Tamboril, tauá, Tejussuoca, Tianguá e Trairi.

Nenhum comentário: