sexta-feira, 20 de maio de 2011

José Airton busca apoio para instalação de Campus da UFC no Vale do Jaguaribe

Em pronunciamento recente, o Deputado Federal José Airton comentou sobre seu empenho para instalação de Campus Avançado da Universidade Federal do Ceará - UFC no Vale do Jaguaribe e Serra da Ibiapaba, no Ceará. Esse Campus traria grandes benefícios para as cidades próximas ao local de implantação, ampliando a oferta de cursos superiores.

Veja a matéria publicada no site do deputado José Airton:

19.05.2011
José Airton luta por mais universidades para o Ceará, na Serra de Ibiapaba e Vale do Jaguaribe

Em 14 de abril de 2011 o deputado federal José Airton fez um pronunciamento reforçando o pedido dos companheiros da Casa Amigos de Russas para a criação do Campus Avançado da UFC no Vale do Jaguaribe. Eles realizaram, no dia (13), uma Audiência Pública para debater a instalação do Campus Avançado da UFC no Vale do Jaguaribe.

O Deputado usou a tribuna para comunicar o encontro que tratou da aquisição do equipamento “Campus da Universidade do Ceará”, onde também foi formalizado apoio de organizações governamentais e não-governamentais, instituições e organizações para aquisição deste equipamento.

“O Campus se instalado em Russas trará benefícios outros tais como o reconhecimento da capacidade do seu povo em acolher um bem dessa envergadura; ótimas perspectivas culturais; estímulo aos jovens e adultos no sentido de propiciar-lhes o acesso a uma Universidade; tornar Russas um ponto de convergência para o qual se deslocarão inúmeras pessoas em busca do aprimoramento hoje indispensável ao desenvolvimento cultural, estrutural e tecnológico e à prosperidade de um povo. Enfim um benefício de altíssima relevância!”, explica José Airton.

O Deputado também fala da importância da criação do Campus de Limoeiro do Norte e o Projeto de Lei nº 2.706/2007, de sua autoria, que cria a Universidade Federal de Jaguaribana - UFJA/CE, cujo projeto está na Comissão de Educação e Cultura.

Além disso, o petista dar total apóio e se empenha na criação de uma Universidade Federal na Serra da Ibiapaba. Uma solicitação recebida da Secretaria de Educação da Prefeitura Municipal de Tianguá. Para José Airton essa Universidade é fundamental para região por sua localização geográfica, populacional e econômica, uma justa demanda estudantil da Serra de Ibiapaba.

Um comentário:

Stenio disse...

A FACIB E O ENSINO SUPERIOR NA IBIAPABA

A luta pela implantação do Ensino Superior na Região da Ibiapaba começou por volta de 1985 com a criação da Fatec - Faculdade de Teologia Cristã, ofertando cursos livres de Teologia e Filosofia no Município de São Benedito.
Eram tempos difíceis, pois o Brasil ainda ensaiava os primeiros passos do Processo de Democratização. Apesar do regime em vigência as IES - Instituições de Ensino Superior geralmente nasciam livres, a partir da organização de intelectuais que tinham como objetivo comum a formação educacional do povo.
As instituições surgiam e com muito trabalho fincavam as suas bases até conquistarem a sua autonomia junto ao MEC - Ministério da Educação. Muitas dessas instituições conquistaram o seu reconhecimento após longos anos de Ação Acadêmica.
A Fatec nasceu neste contexto até que veio a Nova LDB no ano de 1996, fruto do Processo de Democratização do País.
A Nova LDB possibilitou grandes conquistas no Setor Educacional, entretanto a Burocratização das ações sociais e políticas se fortaleceu na mesma proporção. As IES só poderiam iniciar as suas atividades mediante Autorização do Poder Público.
Diante do novo quadro, no ano de 1999 a Fatec é extinta e nasce a Facib - Faculdade da Ibiapaba, visando o enquadramento às novas regras que passaram a normatizar o Ensino Superior no Brasil.
A visita do então Ministro da Educação, Paulo Renato de Sousa a São Benedito foi a Pedra Fundamental para a materialização deste antigo sonho que foi Protocolado sob o nº 23000.005792/200-12 no dia 20 de Junho de 2000 às 17:07:03 hs no MEC - Ministério da Educação - Secretaria Executiva - Subsecretaria de Assuntos Administrativos, posteriormente publicado no DOU - Diário Oficial da União do dia 27 de Novembro de 2000 - Seção 2 - Página 07 - Portaria 3.482.
No dia 30 de Novembro de 2000, o MEC, através do DEPES - Departamento de Ensino Superior encaminha o Ofício de nº 13.803/00 autorizando a Comissão Verificadora a fazer o trabalho de Avaliação in-loco das condições de funcionamento que teve início em 24 de Janeiro de 2001 e conclusão em 27 de Fevereiro de 2001, cujo Relatório culminou no Conceito Global Final do Curso com a Classificação “B” que foi comemorado com euforia pelo grupo de educadores que iniciaram esta empreitada.
A partir disto a tão sonhada Autorização que deveria ocorrer impreterivelmente até o dia 27 de Março de 2001 não aconteceu. Esperado 120 dias a Facib iniciou as suas atividades e até hoje aguarda que o MEC formalize o pleito que deveria ter ocorrido no ano de 2001. Os 10 anos que se seguiram foram marcados por intensas perseguições materializadas sob a forma de denúncias caluniosas, de cunho notadamente político. Situação inaceitável num País que dava os primeiros passos rumo a Democracia.
A verdade é que a Facib ao longo desses anos, ofertando apenas 1 Curso, já Graduou cerca de 9.473 alunos em ações conjuntas com a Urca - Universidade Regional do Cariri e UCB - Universidade Castelo Branco, amparada pelo Parecer 313/2002 que foi reexaminado pelo Parecer 202/2003 homologado finalmente pelo Ministro Tarso Genro do MEC - Ministério da Educação, devidamente publicado no DOU - Diário Oficial da União do dia 13 de Abril de 2004 - Seção 1 - Página 07 - Portaria 978.
A luta não acabou e até hoje implementamos ações individualizadas junto ao MEC para regularizar a situação da Facib e muitas são as promessas de solução.
O que falta mesmo são ações sociais e políticas favoráveis, capazes de combater com o mesmo vigor as ações contrárias ao processo de inclusão universitária de uma região com grande potencial de desenvolvimento.
O que temos aqui é um breve relato do que poderá se tornar o embrião experimental da futura Universidade da Ibiapaba, que abrirá as portas para o ingresso e surgimento de outras instituições, transformando a região num pólo universitário.


Stenio Neves Gameleira
Diretor Geral
FACIB - Faculdade da Ibiapaba