segunda-feira, 9 de maio de 2011

Requalificação do litoral cearense é debatida em palestra na Assembleia

Retirado do site do deputado Dedé Teixeira


Professor Luís Parente, do Labomar, mostrou experiências bem sucedidas de recuperação de praias e o impacto dos investimentos na atividade turística e econômica

A Comissão de Desenvolvimento Regional, Recursos Hídricos, Minas e Pesca da Assembleia Legislativa iniciou, na tarde desta quinta-feira (05/05), um ciclo de debates que vai reunir especialistas para discutir temas como a mineração, pesca artesanal, aquicultura, entre outros. O primeiro palestrante foi o diretor do Instituto de Ciências do Mar (Labomar) da Universidade Federal do Ceará (UFC), Luís Parente Maia, que falou sobre “Requalificação do Litoral como Fator Gerador do Desenvolvimento Socioeconômico”.

O presidente da Comissão, deputado Dedé Teixeira (PT), observou que as praias são o principal atrativo turístico do Ceará e afirmou que a requalificação é necessária para estimular o setor. “Esse debate é fundamental para garantir o uso adequado deste patrimônio, preservando a natureza e assegurando qualidade de vida dos moradores da zona costeira”, afirmou o parlamentar.

O deputado citou projetos de requalificação em andamento, como o Vila do Mar e a recuperação da Praia de Iracema, em Fortaleza. Dedé Teixeira também falou sobre a Comissão, recém-criada, e sobre o ciclo de debates.

Parente Maia destacou a necessidade de intervenções no litoral, como forma de estimular o turismo, melhorando a vida nas comunidades litorâneas, sem causar danos ao meio ambiente. “É preciso analisar a situação da costa do Ceará, debater e planejar o que fazer”, pontuou.

O palestrante fez uma análise detalhada da situação do litoral cearense, alertou sobre a erosão costeira e ressaltou a “situação de penúria” nos municípios de Acaraú, Cascavel, Caucaia e Icapuí, onde há um grande avanço do mar. Segundo ele, ações humanas como a ocupação desordenada e a exploração de areia, podem estar causando a erosão nas praias do Estado.

O diretor do Labomar citou ainda a construção dos portos do Mucuripe e do Pecém e de barragens no Rio Jaguaribe como fatores que levam à erosão. Parente também criticou as obras de contenção que estão sendo feitas na praia de Icaraí, em Caucaia. “O muro de concreto é mais barato e protege a costa, mas tira a balneabilidade da praia. Um aterro como o de Iracema é mais caro, mas gera benefícios para a população, com a criação de uma área de lazer”, afirmou o especialista.

O professor apresentou ainda casos em diversas regiões do mundo onde foram feitos trabalhos de recuperação de praias, para mostrar que os investimentos impactam diretamente no aumento do turismo. Ele destacou a experiência de Barcelona, que revolucionou o turismo a partir da década de 1990 para o recebimento das Olimpíadas e se constitui hoje num dos locais mais visitados do mundo. Parente mostrou ainda experiências do aterro do Flamengo e de Copacabana como casos bem sucedidos de requalificação de praias.

Participaram do evento o secretário adjunto de Pesca do Estado, Manuel Furtado; o ex-deputado Federal Paulo Henrique Lustosa; a coordenadora do Projeto Vila do Mar da Prefeitura de Fortaleza, Rocicleide Ferreira; o gerente do Programa de Requalificação da Praia de Iracema, Rommel Ramalho; o presidente da Associação de Geólogos do Ceará, João Bispo Morais; professores universitários e representantes do Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura (Crea), da Federação de Pescadores do Ceará e de colônias de pesca.

Com informações da Agência de Notícias da Assembleia (visto no www.dedeteixeira.org.br)

Nenhum comentário: