domingo, 26 de junho de 2011

Icapuí pode desaparecer em 50 anos devido ao avanço do mar

Em matéria publicada no jornais O Globo e Extra do Rio de Janeiro sobre o avanço do Mar no Ceará, que que está avançando cerca de 10 metros por ano, diz que se não adotarem medidas para conter o avanço do mar o município de Icapuí pode desaparecer em meio século, ou seja, cinquenta anos. Leia a reportagem abaixo:

Mar avança dez metros por ano e ameaça praias do Ceará

25/06 às 19h20 Isabela Martin (isabela.martin@oglobo.com.br)

FORTALEZA - Com 573 quilômetros de litoral, o Ceará é um dos destinos preferidos de turistas, que são atraídos pela beleza de suas praias. Mas parte desse patrimônio pode sumir nos próximos dez anos se não forem adotadas medidas para conter a fúria do mar, que, em determinados trechos, avança em média dez metros por ano.

A conclusão é de um estudo do Instituto de Ciências do Mar (Labomar), da Universidade Federal do Ceará. Segundo o diretor da instituição, Luiz Parente, há indícios de erosão em 90% do litoral cearense, mas até hoje foram realizadas intervenções em apenas 15 dos 573 quilômetros da costa. O problema, diz o pesquisador, afeta também todas as capitais litorâneas do país.

No litoral Leste, a situação é pior nas praias de Caponga, em Cascavel, e Barreira, em Icapuí — município que pode desaparecer em meio século, engolido pelo mar. No Oeste, as praias mais afetadas são Morgado, em Acaraú, e Icaraí, em Caucaia.

A erosão costeira tem causas múltiplas, mas a ocupação desordenada do território responde por 70% do problema. Depois vêm as razões climáticas: no Ceará, no Rio Grande do Norte e no Maranhão, o vento tem mais impacto no avanço do mar do que a elevação do nível do mar provocada pelo degelo, por exemplo, pois ele tira areia das praias para a formação de dunas, agravando a erosão.

— Em função dos ventos, o nível do mar chega a subir, sazonalmente, um metro e vinte centímetros por ano — diz Parente.

Fonte: O GLOBO

2 comentários:

m frank. disse...

Sempre que o homem tenta tomar medidas sobre o avanço do mar e melhorar a qualidade de vida daqueles que moram na praia, a natureza reage de forma mais brutal. O negócio é deixarem as praias desocupadas e limpas, como era pra ser desde sempre. É o homem que tenta buscar um lugar na natureza, ainda que pareça, nesses últimos tempos, o contrário. Graças à ganância do homem e a incessável busca do MAIS, ela, a natureza, está mostrando o seu poder de destruição.

LaisGomes disse...

Sempre ouvimos falar no avanco do mar com o passsar dos anos,se ainda assim as pessoas insistem em morar nas areas de risco,é pq com certeza elas querem sentir a furia do oceano. O homem esta tentando tomar esse espaco que nunca foi dele,contruindo e investindo em barracas e pousadas as margens da praia,sabendo que no futuro(que ja comecou a tempos),sera destruido pela furia e avanco do nivel do mar. E como Maiza falou é melhor deixar os locais desocupados. Sabemos que muitas familias nao possuem condicoes suficientes para construir uma nova moradia,uma nova vida,mais para isso o governo tem de estar presente e junto com a uniao e a forca da populacao(essa que poucos se empenham em ter,ser mais solidarios),poderiam sim,mudar a maneira de muitos viverem. Mais como os governantes nao fazem nada pela populacao,os anos passam e as familias so se encontram cada vez mais perdidas diante de tal situacao. Aiiii aiiii