sexta-feira, 8 de julho de 2011

Reflexão: O luar de Icapuí

Google Imagens
Por Francisco Carrilho
Administrador e Servidor Público Municipal

Da janela da casa onde provisoriamente habito, absorto nos pensamentos que o ocaso do dia faz brotar como que reclamando de nós a prestação de contas do dia vivido, e o que de positivo contribuí para o bem estar dos meus semelhantes, ou o que de errado fiz decepcionando pessoas que de repente esperavam de mim algo que agregasse um valor objetivo ou mesmo subjetivo às suas vidas. E como, se percorrendo estivesse o território desta cidade que tão repentinamente aprendi a gostar e do seu povo generoso e sempre de braços abertos para receber mesmo um forasteiro, como eu, na expressão de alguém que decepcionado, achou que para cá vim, tomando a oportunidade de um filho da terra. 

Coisas do ofício que relevo, por entender que idêntico sentimento ouvi, quando ingressei nas Organizações Pizarro e Grupo Vicunha, na cidade de Guimarães em Portugal, e tive ¨que matar um leão por dia ¨ para conseguir desempenhar um bom trabalho, e capacidade para fazer sempre o melhor, junto a uma equipe que a cada minuto tinha que mostrar um padrão Internacional de Qualidade que fazia a diferença no mercado Europeu. Mas não era este o meu propósito ao escrever esta pobre reflexão. 

Vagando sobre as Dunas e Coqueiros altos que apontam os caminhos do céu, eis que de repente vejo brotar em cima da serra, emergindo da imensidão do mar, linda, esplendorosa, magnífica, a LUA CHEIA DE ICAPUÍ. Parei! mirei! e como que magnetizado com todo aquele romantismo tão próprio dos encantos da lua, que foi por demais cantado em verso e prosa por tantos e tantos que tiveram o mesmo sentimento que neste momento do meu ser, se apoderava. E desviando o meu olhar para a vastidão do oceano como se procurasse algo que ultrapassasse o orgulho de ter uma das mais bonitas visões do planeta, e lá vinha deslumbrante, faceira tremendamente impudorosa, desvirginar a menina dos nossos olhos com a fagueirice do seu encanto, a LUA DE ICAPUÍ. 

Certa vez ouvindo um depoimento de um poeta angolano, fazia menção, e emocionado confessava o seu agradecimento ao compositor de uma samba enredo desenvolvido pela UNIDOS DE VILA ISABEL, na voz melosa do grande Martinho da Vila e de quem imperdoavelmente me falha a memória a autoria, e dizia a letra sobre os encantos da lua de LUANDA (capital angolana). Certamente o fazia, por não conhecer os encantos maiores da LUA DE ICAPUÍ. Ela surge no horizonte da imensidão do Atlântico, altaneira charmosa e de um tamanho tão descomunal, que nos faz sentir pigmeus. Ora bolas, por quê tanta humilhação conosco, meros coadjuvantes deste fenômeno que é a vida. Mas ela, como que atendendo a nossa modesta confissão de inferioridade, ao promover o seu desfile, TOP MODEL que é, vai reduzindo a sua dimensão orbital e como se a todos beijasse (um beijo universal), traça a sua apoteótica caminhada rumo ao infinito, deixando-nos um resquício de inveja e dor de cotovelo por não estar junto nesta caminhada. Oh!  LUA DE ICAPUÍ, quanta saudade tu nos deixa e alimenta a esperança de que amanhã voltarás ainda mais bela, até que completada a tua caminhada, como se uma rosa fosse, o ciclo do espaço sideral decretasse uma LUA MINGUANTE, que não se coaduna com a cidade de ICAPUÍ. Aí caí na real e voltei a pisar este solo generoso, em busca dos amigos, para jogar conversa fora num dos agradáveis locais desta boa terra.

4 comentários:

Wallyson Honorato disse...

Parabéns!!! Não sabia dessa sua habilidade..continue produzindo para lançar um livro.
...

ClaudiMar Silva disse...

Linda reflexão,

Uma sincera homenagem de alguém que se autodenomina "forasteiro", mas que mostra sensibilidade e paixão pela nossa cidade.

As belezas de Icapuí estão nas pessoas, nos costumes, nas paisagens naturais e até na lua.

Parabéns Carrilho.

Caminhos do Turismo pelo Turismólogo disse...

Quem somos nós para comentar tamanha beleza!? Como o próprio escritor definiu: "meros coadjuvantes deste fenômeno que é a vida."
Uma lindeza que nos deixa sem palavras!
Eliane

Alzenir disse...

poderia dizer que me surpreendi com sua reflexão, com seu lado poético, carrilho, mas prefiro te parabenizar e agradecer por usar tão belas palavras para descrever sua percepção do nosso espetacular luar... e como é bom saber que há a 'esperança de que amanhã voltará ainda mais bela'...e, mesmo que nos sintamos "pigmeus", humilhados, que nunca jamais percamos o romantismo e o desejo de presenciar e nos deliciar com tão sublime desfile do espaço sideral.
lembre-se ainda que os verdadeiros "forasteiros" são aqueles que passam pela vida e nada sabem sobre ela. continue escrevendo!!!