terça-feira, 25 de outubro de 2011

Artigo: "Paredões-de-som" me fazem sentir saudades das radiadoras

  Escrito por Claudimar Silva
Blog AH! Bom Basta!
Parece que estamos vivendo duas eleições simultâneas: uma para escolha do próximo prefeito de Icapuí, outra para saber qual "paredão de som" consegue fazer mais zoada.

Os "paredões-de-som" atuais nem de longe lembram as antigas "radiadoras" amarradas nos tetos dos carros, que circulavam pela cidade divulgando as candidaturas dos postulantes aos cargos públicos. Geralmente instalada na capota de um Fusca, ou agrupadas em "caixas de som" sobre uma Chevrolet Caravan, essas relíquias da sonoridade estridente era a alegria da criançada e a única fonte de informação dos eleitores ávidos por notícias da política local. A pouca potência do som desses equipamentos incomodava muito, justamente pela péssima qualidade do som. 

Com a evolução da parafernália de sonorização, que tem nos "paredões" seu mais famoso e polêmico representante, a qualidade do som tão sonhada pelos eleitores da época da "radiadora" atingiu níveis tão elevados que chegam a tremer o chão por onde passam. O som produzido pelas fartura de auto-falantes, tweeters, cornetas e uma ruma de "bregueço" que não sei o nome, tudo isso junto em cima de um reboque, alcança todos os decibéis possíveis e permitidos pelas leis da física. Exagero? Experimente encostar o ouvido perto de um "bicho" desses quando estiver tocando. 

Para os admiradores da zoada produzida por essas maravilhas tecnológicas, um "paredão-de-som" é um santuário de louvor as ondas sonoras, em sua mais alta manifestação. Alguns entendidos no assunto comentam que, nunca, jamais, deve-se colocar o volume de tais equipamentos no máximo - isso provocaria um estouro generalizado. Não duvido disso. Aliás, penso que tanta potência seja capaz de provocar um tsunami nas coitadas das ondas sonoras.

Tal novidade invadiu a tranquilidade das ruas de Icapuí há algum tempo e coabitam com nosso marasmo praiano. No entanto, em épocas "festivas" como as que vivenciamos atualmente, o vai-e-vem dos carros e seus "paredões" é intensificado, o que vem incomodando muita gente que não aprecia tanto assim zoada no pé-do-ouvido. No final de semana passado, por exemplo, durante a aplicação das provas do ENEM, o passa-passa dos veículos de divulgação das campanhas dos candidatos à prefeito de Icapuí gerou desconforto e dificuldade na concentração dos que faziam a prova. Recém-nascidos, idosos e pessoas doentes, que necessitam de repouso, também sofrem com o barulho excessivo no dia-a-dia. 

Tudo bem que os candidatos precisem divulgar suas músicas de campanha, seus eventos, suas mensagens, mas, o volume exagerado dos "paredões-de-som" acaba transformando os eleitores do presente em eleitores surdos do futuro. Sabemos que há um limite de decibéis suportável pela audição humana, e passar o dia inteiro sendo bombardeado com tanta potência sonora certamente não é salutar para ninguém neste mundo. Os operadores desses equipamentos sonoros poderiam ser orientados pelas equipes de coordenação dos candidatos à prefeito, para que façam uso do bom-senso na hora de sair por aí com um "paredão" desse ligado. 

Todos nós queremos ouvir as musiquinhas do nosso candidato predileto (inclusive tem uns "forrozinho" que dar até pra dançar de tão animado que é), porém, utilizar o som num volume intermediário pode ser tão ou mais eficiente na transmissão da informação que esta zoada "infernal" que dar dor de cabeça até em pedra.

Fonte: Blog AH! Bom Basta! do nosso amigo Claudimar Silva

7 comentários:

Professor Wellington Pinto disse...

O PT de Aracati nas suas origens fazia campanhas com uma radiadora em cima de um carro velho, nosso locutor era o carlão.Bons tempos aqueles onde tínhamos ideologia e éramos capazes de morrer pela causa socialista.

Antônio José disse...

Meu caro Claudimar gostei muito do artigo.Afinal,está mais do que na hora de se fazer uma reflexão sobre a poluição sonora no nosso município.São fontes sonoras cujos operadores de som não respeitam o limite do ouvido humano que está num intervalo de85 a90 decibés.Além disso, sabe-se que as consequências dessa atitude são as mais variadas, como por exemplo, perturbação, susto, impedimento de se fazer atividades de leitura, exercícios escolares, assistir programação televisiva entre outras.Sem falar, que se não a curto, mas a longo prazo, surgirão distúrbios auditivos na população.QUE SE USE SOM, MAS SEM FERIR O DIREITO DO OUTRO.Autoridades vamos fazer valer as leis pertinentes!!!PARABÉNS COLEGA!

Emilio Konrath - Catamaram Mås disse...

É só um destes "operadores/perturbadores" e colocar ele no paredão (não estou falando de fuzilamento, embora não seja de todo uma má idéia) e ligar o som.
Garanto que nunca mais ele acaba com o nosso sossego.

Mari cecilia Silvestre disse...

As plataformas eleitorais limitam-se agora a números que, de tão repetidos pelos carros de som, poluem nossas mentes já tão cansadas de tanta poluioção sonora!!!! No momento mais lamentável e nada festivo pelo qual estamos passando, em que o sentimento de perda de dignidade, de respeito, de descompromisso dos gestores públicos com o povo de Icapuí os desmandos continuam se manifestando e por TODOS os partidos. Não há uma exceção que contemple as expectativas dos que ainda esperam por dignidade e respeito. CHEGA DE CARROS DE SOM E DE AFRONTAR A LEI DA POILUIÇÃO SONORA EM NOSSO MUNICÍPIO. CHEGA DE DESMANDOS!!!!! (Só um desabafo de uma moradora em busca de paz e tranquilidade, pois está impossível acreditar em mudanças para uma vida melhor!!!!)

Núbia de Gomes disse...

Boa Noite, gostei muito do artigo,pois pensei que era só eu que me encomodava, é um desrespeito a população de Icapui. Essas pessoas responsaveis por esses paredőes, tem que ver que estar demais,um exemplo desse descaso humano, è que nesse fim de semana os alunos que precisaram fzer a prova do ENEM, se sentiram prejudicados, com o barulho dos carros de som, os paredőes. alguém tem que tomar uma decisão. Precisamos de ajuda. Nubia de Gomes

Emilio Konrath - Catamaram Mås disse...

Isto tudo sem contar que instalaram os comitês de campanha nas proximidades do hospital.
Alguma autoridade precisa intervir e aliviar o sofrimento do povo de Icapuí.

IVAN SOUZA disse...

É companheiros a poluição está extrapolando a capacidade auditiva das pessoas, ontem 929/10)por ocasião do evento do PMDB/PTB em Barreiras de Cima, teve a oportunidade de presenciar um paredão de som com nas alturas enorme(volume)além de várias motos com as descargas barulhentas,isso tudo de maneira simultânea. Muitas pessoas da comunidade se sentiram sufocadas e desrespeitadas com tanto barulho e falta de compreensão dos organizadores do evento.