segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Artigo: Icapuí. O PT é como mãe. Só se reconhece o valor quando desaparece!

Escrito por Crispiniano Neto* 
 
Icapuí foi um dos primeiros municípios a serem governados pelo PT. Tornou-se independente de Aracati e já começou sob o comando do modo petista de governar.Acostumou-se a ter do bom e do melhor. Pensou que qualquer um poderia fazer daquele jeito. Icapuí era um exemplo de município pequeno bem administrado. Prêmios nacionais e internacionais nas áreas de saúde e educação eram frequentes.
 
Lula veio algumas vezes conhecer de perto para contar de certo. Ficou freguês. Vinha até passar férias. Icapuí tinha um sistema popular de prestação de contas que ficou na história. Até que tinha prefeitos que antes tinham prestado contas mensalmente no Diário Oficial, mas em Icapuí era na parede de uma casa, para o povão tomar conhecimento de cada centavo que entrava nos cofres municipais.
O povo de Icapuí e de Porto Alegre, um município pequeno e um grande, se acostumou a ver as coisas acontecendo e achou que era fácil. Que os prefeitos petistas não faziam mais porque não queriam. E resolveram apostar na diferença.

Como dizia o slogan de Lula na campanha de reeleição, Icapuí resolveu “trocar o certo pelo duvidoso”. E, assim como Porto Alegre, se deu mal. E chorou lágrimas de sangue. Aquela Icapuí alegre, desenvolvimentista, de políticas públicas bem definidas e universalizadas foi murchando e, aos poucos encolheu, perdeu o brilho, ficou opaca, medíocre, esquecida. Mas o povo lembrava que um dia a canoa tinha sido veloz e tinha combatido os ventos da maldade. E sentiu saudades do PT.

Viu que os tucanos do PSDB tinham lhe levado no bico, tinham sido o mesmo fiasco dos tempos FHC. Provaram que são pássaros de bico longo e voo curto como salto de pulga e torto que só voo de anum.
Eis que a Justiça eleitoral acionada fez o que quase sempre a Justiça Eleitoral faz, com o PT. Virou a cara para a verdade e não cassou o prefeito que tinha contratado irregularmente quase 500 cabos eleitorais para fazer campanha à custa do erário municipal. Mas noutra instância, a Justiça funcionou. Às vezes acontece. Em Fortaleza, como em Berlim, provou-se que há juízes. Prefeito e vice foram cassados.
 
Nova eleição marcada. Novembro, dia 13. Disputa para ver quem iria governar 3 meses.
Ganhou o 13. Estive lá com Josivan Barbosa e Tércio Pereira, às 13 horas e a eleição já estava definida. Mais de dois mil votos de maioria.
 
O povo tinha sentido falta do PT. Essa sigla tão maltratada quanto coração de mãe. Mas que, quando falta é, como mãe também, lembrada, chorada e chamada de volta.
 
Icapuí reencontra seu caminho. E, como no seu significado em Tupi-Guarani, segue a canoa veloz em busca do futuro. 
 
PT, Saudações!
 
 
 

Um comentário:

Lais Gomes disse...

Adorei o Artigo,e tenho que concordar,muitos votaram no PSDB,assim como eu um dia,acreditando que poderiam acrescentar algo a nossa cidade,mais que foi justamente o contrario,tiraram o pouco que nos restavam,e nos deixaram no total abandono,troquei o certo pelo duvidoso,e sei disso,e assumo a minha acao,como uma cidada,errei. Mais acertei noutra vez,corrigi o erro. Sempre acreditei e tive muita fe,que o PT voltaria a governar Icapui,e agradeco por eles fazerem parte de uma cidade tao linda,mais humilde,de pessoas honestas e trabalhadoras. acreditei,Rezei e alcancei a reconquista do PT. tenho respeito pelo antigo partido,e pelas pessoas que o constituem,mais que me perdoem,deixaram muita coisa a desejar e ao leo...enfim, Parabens Sr. Crispiano Neto. seu artigo eh muito interessante. Abracoss